10 de Dezembro de 2018,

Economia

A | A

Sábado, 12 de Julho de 2014, 10h:07 | Atualizado:

Grupo André Maggi passa a se chamar Amaggi

O dinamismo do agronegócio mato-grossense não pode ser contabilizado apenas pelos recordes anuais de negócios e das safras, mas também pelas demandas que impõe às empresas que respiram grãos. Nascendo no Estado ou criando grandes operações no território local, a globalização pede mudanças, das mais simples as mais complexas. Depois de gerar ‘empresas-filhas’, ganhar o mercado internacional, ampliar a estrutura de negócios, transferir a sede do interior para a capital de Mato Grosso, a maior representante local do agronegócio, o Grupo André Maggi, inaugura uma nova fase com um novo nome e nova logomarca e adota o já conhecido nome, Amaggi. 

 

Em 1977 nascia uma das principais empresas do agronegócio do Brasil, a Sementes Maggi. Com a ampliação das atividades econômicas e com um perfil de holding, passou a chamar-se Grupo André Maggi e, em 2002, a sua marca foi modernizada. Doze anos depois, a companhia dá um novo passo relativo à sua identidade visual, adotando o nome Amaggi e criando uma nova logomarca. A mudança vinha sendo estudada há vários anos e foi motivada, principalmente, pelo crescimento e internacionalização da companhia. Com isso, veio a necessidade de uma padronização maior de todas as áreas de negócios. 

 

A Amaggi Exportação e Importação Ltda. é a empresa líder, que atua na compra e venda de grãos, industrialização, logística, operações portuárias e importação e comercialização de insumos. Sempre foi a empresa mais exposta. Por essa razão, tornou-se uma marca forte, ao lado do próprio Grupo André Maggi, explica a direção da holding mato-grossense. 

 

O departamento de Comunicação Corporativa vinha detectando “ruídos” frequentes quanto ao nome divulgado nos meios de comunicação. Era muito comum, por exemplo, ocorrerem veiculações incorretas como “Grupo Amaggi”. 

 

Um outro destaque dentro dessa mudança é que ela foi planejada, estudada e deferida dentro de casa. A alteração é 100% mato-grossense, já que a arte final da logomarca saiu da Soul Propaganda, uma empresa cuiabana. 

 

ÁREAS DE NEGÓCIOS - Além da adoção da Amaggi como novo nome, a alteração foi estendida aos seus diferentes negócios, que passarão a se chamar Amaggi Commodities, Amaggi Navegação, Amaggi Agro e Amaggi Energia. 

 

O presidente da Amaggi, Waldemir Ival Loto, que já foi diretor da Amaggi Commodities, explica que a transição será muito tranquila, focando primeiramente na informação do público interno e com a gradativa troca da logomarca nas unidades, materiais de divulgação etc. “É importante ressaltar que estamos adotando um nome que já existe e que é muito forte e conhecido dentro e fora da companhia”, analisa Loto. “Além disso, algo permanece imutável: a essência empreendedora e visionária dos fundadores de uma empresa que tem orgulho, sobretudo, de ser brasileira”, finaliza. 

 

A Amagi, como cita Loto, possui quatro áreas de negócios, duas indústrias, 33 silos e armazéns, três portos, cinco Pequenas Centrais Hidrelétrica (PCHs), 12 fazendas, escritórios de negócios em seis países, 3.949 colaboradores diretos e 3,6 mil fornecedores de soja e milho, aproximadamente. 

 

AMAGGI COMMODITIES - Atua na compra e venda de grãos, industrialização, logística, operações portuárias e importação e comercialização de insumos, é a 'ex-Amaggi' Exportação e Importação Ltda. Originou 7,4 milhões de toneladas de grãos e obteve receita de US$ 1,7 bilhão em exportações em 2013. Atualmente está na 18ª posição entre os maiores exportadores do Brasil, segundo ranking do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic). 

 

AMAGGI AGRO - Administra 223,4 mil hectares de áreas em Mato Grosso. Em 2013 foi responsável pela produção de 410.160 toneladas de soja, 474.601 toneladas de milho e 43.548 toneladas de algodão. Vem crescendo em produtividade ano-a-ano, graças ao emprego de modernas e sustentáveis técnicas agrícolas. 

 

AMAGGI NAVEGAÇÃO - Opera em um dos principais corredores fluviais do Brasil, formado pelos rios Madeira e Amazonas. Em 2013 realizou o transporte de aproximadamente 2,8 milhões de toneladas de grãos entre os portos de Porto Velho (RO) e Itacoatiara (AM). Em 2014 inicia as operações em um novo corredor: o Tapajós-Amazonas. 

 

AMAGGI ENERGIA - A Amaggi Energia administra cinco pequenas centrais hidrelétricas (PCHs) no Estado. Juntas as PCHs possuem uma potência instalada de aproximadamente 70 megawatts (mW) e integram o Sistema Interligado Nacional (SIN), que distribui eletricidade no Brasil.

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS