15 de Novembro de 2018,

Economia

A | A

Sexta-Feira, 14 de Setembro de 2018, 09h:19 | Atualizado:

MT foi o que mais aumentou abates no trimestre

No 2º trimestre de 2018, foram abatidas 7,72 milhões de cabeças de bovinos sob algum tipo de serviço de inspeção sanitária. Essa quantidade foi 0,2% menor que a registrada no trimestre imediatamente anterior e 4,0% maior que a do 2° trimestre de 2017, período afetado pela operação “carne fraca”, da Polícia Federal. Mato Grosso liderou a expansão dom abates com crescimento de 8,9% em relação ao mesmo momento do ano passado, conforme dados divulgados ontem pelo IBGE. 

O abate de 296,51 mil cabeças de bovinos a mais no 2º trimestre de 2018 em relação ao mesmo período do ano anterior, foi impulsionada por aumentos em 15 das 27 Unidades da Federação (UFs). Mato Grosso continua liderando o abate de bovinos, com 15,1% da participação nacional, seguido por Mato Grosso do Sul (10,5%) e Goiás (10,4%). 

Entre aquelas com participação acima de 1%, ocorreram aumentos em: Mato Grosso (+95,20 mil cabeças), Rio Grande do Sul (+54,25 mil cabeças), Rondônia (+48,74 mil cabeças), Paraná (+40,10 mil cabeças), São Paulo (+39,13 mil cabeças), Minas Gerais (+31,61 mil cabeças), Goiás (+21,10 mil cabeças), Santa Catarina (+11,47 mil cabeças), Maranhão (+6,50 mil cabeças) e Acre (+1,33 mil cabeças). Em contrapartida, as maiores reduções ocorreram em: Pará (-28,34 mil cabeças), Mato Grosso do Sul (-17,10 mil cabeças), Tocantins (-5,21 mil cabeças) e Bahia (-2,26 mil cabeças). 

No 2º trimestre de 2018, foram abatidas 7,72 milhões de cabeças de bovinos sob algum tipo de serviço de inspeção sanitária. Essa quantidade foi 0,2% menor que a registrada no trimestre imediatamente anterior e 4,0% maior que a do 2° trimestre de 2017, período afetado pela operação “carne fraca”. 

Apesar da redução no número de cabeças abatidas, a produção de 1,90 milhões de toneladas de representa um acréscimo de 0,7% em comparação com o trimestre imediatamente anterior e um aumento de 3,5% em relação ao 2° trimestre de 2017. 

No 2º trimestre de 2018 o peso médio foi de 245,7 kg/carcaça, variação negativa de 0,5% em comparação com o 2° trimestre do ano passado. Por outro lado, houve aumento de 0,9% em relação ao trimestre imediatamente anterior. A elevação da proporção de animais machos abatidos, cujo peso de carcaça tende a ser maior do que o das fêmeas, contribuiu para esse incremento (Gráfico I.3). No período desta pesquisa, o peso médio das carcaças de bois foi de 282,5 kg, enquanto o das vacas foi de 205,4 kg. 

 

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS