21 de Janeiro de 2019,

Entrelinhas

A | A

Sexta-Feira, 11 de Janeiro de 2019, 10h:49 | Atualizado:

ORIENTAÇÃO DO TCE

MM não condiciona RGA dos poderes

maurocarvalho-botelh- mauromendes.jpg

 

O governador Mauro Mendes não acolheu a sugestão do Tribunal de Contas do Estado de unificar a RGA de todos os poderes, quer seja Legislativo, Judicário, Tribunal de Contas ou Ministério Público, ao enviar sua proposta de alteração na lei que concede o reajuste aos servidores estaduais. A proposta do órgão de contas foi ventilada durante sessão de julgamento da concessão da RGA 2018, oportunidade em que o TCE concedeu o reajuste de apenas 2% aos servidores do Estado.

O percentual está abaixo da inflação registrada pelo INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor). Nesta quinta-feira (10), o governador encaminhou à Assembleia Legislativa um pacote de projetos que visa equilibrar a situação econômica do Estado.

Entre os projetos, um altera as regras da concessão da RGA, impedindo que seja aprovada caso as dívidas sejam iguais ou superiores à receita. O texto não menciona, em momento algum, a proposta de se unificar a RGA de todos os poderes, que continuarão dando aumentos.

Postar um novo comentário

Comentários (18)

  • Mad | Sábado, 12 de Janeiro de 2019, 10h39
    4
    0

    E depois se os poderes são harmônicos e independentes entre si, em um momento de dificuldades, um deveria ajudar o outro... hipocrisia em dobro mesmo!

  • Mad | Sábado, 12 de Janeiro de 2019, 10h30
    7
    0

    Engraçado, o Judiciário tem arrecadação própria mas não divide como Executivo...Quanta hipocrisia heim!!!

  • AFFF | Sábado, 12 de Janeiro de 2019, 10h25
    4
    0

    Alguém ae se habilita a encher o corpo de explosivos e num dia em que todos os conselheiros estiverem presentes passar correndo no plenário e boooooommmmmmmmm!!!! Alguém? Alguém? Quem fizer isso se tornará um MÁRTIR e terá o eterno reconhecimento da Humanidade!

  • que frustração | Sábado, 12 de Janeiro de 2019, 07h22
    4
    0

    covarde, imoral, decepcionante encolheu o rabinho, você é vergonhosamente incapaz de controlar seu medinho, marica e assim se esquiva do problema, o medinho te deixou prisioneiro. Depois desse vexame pare de falar e agir como se fosse o defensor da verdade, ética, et

  • Ilze | Sexta-Feira, 11 de Janeiro de 2019, 19h54
    11
    0

    Se há um órgão no qual deveria ser passado o rodo também, esse é o TCE. Eita lugar de privilégios e de apaniguados! No caso deixo claro que trata-se dos ex políticos que vão para lá por indicação indicados e que acham que devem continuar fazendo politicagem dando sequência a nefasta prática do famoso "cabide de empregos". Tem conselheiro ali com familiares e amigos empregados mesmo sem que estes tenham o perfil profissional para atuar no órgão. Já vi caso de professor pedagogo colocado à disposição dessa corte de contas, por conta de amizade e ou parentesco. Constatei esse fato, certa feita quando um sitio de noticias local publicou matérias nesse sentido, e anexou algumas folhas de pagamento do TCE que pegara no portal de transparência. Assim fica difícil, não há arrecadação que aguente.

  • Full Dido | Sexta-Feira, 11 de Janeiro de 2019, 18h47
    14
    0

    E o medo de mexer com o TJ e MP. Quem tem cutem medo rsrs.

  • roberto | Sexta-Feira, 11 de Janeiro de 2019, 17h46
    20
    0

    tudo nas costas do executivo, como sempre!

  • JR | Sexta-Feira, 11 de Janeiro de 2019, 14h34
    32
    0

    Bando de covardes!!

  • CUIABANO MT | Sexta-Feira, 11 de Janeiro de 2019, 13h58
    31
    2

    O correto séria criar uma lei que somente repassaria o duodécimo se tivesse arrecadação suficiente e sem o aumento que eles querem todos os anos. Pois quem banca o Judiciário e o Legislativo é o povo pagador de impostos. No entanto isso é uma utopia, o governador não vai querer mexer com juiz, promotor e deputados em prol da população, como diz o ditado: você bate, bate, e no último ano assopra, que estará tudo resolvido...

  • alexandre | Sexta-Feira, 11 de Janeiro de 2019, 13h38
    25
    0

    A crise não vai atingir o Monte Olimpo ?

  • Guilherme | Sexta-Feira, 11 de Janeiro de 2019, 13h25
    20
    0

    A aplicação de índices diferentes é inconstitucional: Constituição Federal - Art. 37, X - a remuneração dos servidores públicos e o subsídio de que trata o § 4º do art. 39 somente poderão ser fixados ou alterados por lei específica, observada a iniciativa privativa em cada caso, assegurada revisão geral anual, sempre na mesma data e sem distinção de índices;

  • willian | Sexta-Feira, 11 de Janeiro de 2019, 13h11
    30
    0

    Devia, já que não quer caçar confusão com os outros poderes, dizer que seguiu a orientação do TCE. Solução completamente simples. Como sempre, o executivo, que tem os profissionais com os salários mais baixos, irão pagar o pato, enquanto os outros poderes, com seus salários exorbitantes, irão continuar tendo o RGA.

  • wes | Sexta-Feira, 11 de Janeiro de 2019, 13h06
    12
    0

    marcos paulo concordo com vc e acrescento que isso é estrategia do governo para que não tenha uma unidade entre os servidores públicos para reivindicarem seus direitos.

  • wes | Sexta-Feira, 11 de Janeiro de 2019, 13h00
    14
    0

    penso que temos que ter unidade entre os poderes ou seja igualdade simplesmente porq independente dos poderes todos somos farinha do mesmo saco ou seja servidores da sociedade e a mesma fonte de arrecadação é a mesma tanto para legislativo, judiciário e executivo ou seja dos impostos ai não entendo porq que o governo faz acepção dos poderes na hora de aplicar os recursos pago o judiciário paga o legislativo e o executivo não. não entendo isso me sinto discriminado pois desempenho minha função creio eu a contento cumprindo com minhas obrigações as quais me são atribuídas. não dá pra entender isso tem dinheiro para o legs e juds e o que arrecada pra eles ferro é muito injusto isso.

  • servidor imparcial | Sexta-Feira, 11 de Janeiro de 2019, 11h52
    49
    1

    ué nao é o bom da boca.....agora sim mostrou uma menina mimada que mexe só contra o executivo, nao tem coragem nem peito ...covarde como sempre...governando para ricos..MAURO MENTE

  • CARLOS | Sexta-Feira, 11 de Janeiro de 2019, 11h33
    53
    1

    ELE NÃO VAI MEXER COM QUEM PEITA ELE, ELE PRECISA DESSE PESSOAL AÍ P APROVAR OS NEGÓCIOS E AJUDAR A FERRAR OS SERVIDORES DO EXECUTIVO

  • Contribuinte | Sexta-Feira, 11 de Janeiro de 2019, 11h19
    8
    38

    Seria justo, mas os poderes são independentes.

  • Marcos Paulo | Sexta-Feira, 11 de Janeiro de 2019, 11h06
    71
    2

    Cadê a isonomia? Porque sò os do executivo pagar o pato? Reduz os duodecimos e colocam todos na mesma vala da RGA pois todos são servidores públicos do estado. Porém o que o governo faz é fatiar, pois os do executivo são os que tem menos forças para brigar!!!

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS