13 de Dezembro de 2018,

Opinião

A | A

Quinta-Feira, 06 de Dezembro de 2018, 18h:05 | Atualizado:

Graci Ourives Miranda

Juízes e delegados globalizados

graci-ourives.jpg

 

O Estado de Mato Grosso, gigante nas suas exportações, primeiramente dos produtos naturais, pedras preciosas e belíssimas peles que abasteciam os mercados europeus e outros países desde o século XVIII.

Mas, nosso gigante florestal trazia consigo manchas de posturas que não eram eficazes para a sociedade. Somente um grupo da elite de exportadores tinham acesso: cultura, os que não eram filhos ou afilhados de 'coronéis' não pela farda mais pelo poder da terra.  Jamais poderiam ter seus direitos adquiridos.

Alguns que tinham suas 'fardas' também por longo tempo viveram do: 'encurralar para ganhar'.

Na atualidade temos juízes e delegados, independente de sexo, ou origem de cada um, labutam tecnicamente para que possamos viver e nos deliciar com posturas de mais justiça, tal como diz nossa Constituição. 

Os senhores das leis, tanto os juízes quanto delegados pouco importam com a cor da pele ou sua história de vida, estes estão aprimorando tecnicamente a cada dia e valendo-se da Lei é para todos. Estes utilizam do mundo tecnológico para elaborar um julgamento com eficácia. 

Atualmente as classes menos favorecidas, não se evidencia inquietação frente ao julgamento. Nós cidadãos comuns saberemos que quão é importante estar trabalhando com fatos e não com sonhos de poder patrimonial ou da lei do 'meu protegido'.

Lamentavelmente, ainda encontramos alguns senhores que se sentem ainda que tentam se valer dos resquícios de coronelismos.

A população está muito sofrida. Então a sociedade merece o apoio das autoridades e assim os juízes e delgados com suas equipem estão tentando mudar os resquícios de coronelismo.

Estamos em 2018, e há autoridades dotados de posturas, moral e caráter são evidentes que, os juízes e delegados cristalinamente, apontam que os judiciários e delegacias não têm espaços para meias verdades e nem sequer meia luz.

Os juízes e delegados do século XXI primam pelo bem, perfeito e agradável, assim teremos mundo multicores de igualdade.

A lei é lei, e, vamos ter esperanças no Brasil de portas abertas para o mundo.

Quão importante tem sido o desempenho dos juízes e delegados, estes que, trabalham arduamente para que a máquina do Estado possa voltar-se para mundo do bem-estar. 

Felizmente delegados, policiais, promotores e juízes do século XXI desvendam sempre os esquemas de corrupção praticados na administração dos órgãos públicos.

* GRACI OURIVES DE MIRANDA, professora Português/literaturas: Língua Portuguesa e inglês/literatura inglesa. Registro LP9614565/Demec/SP-SP.  Especialização História Social - UFMT. Curso - USP-SP: “Prática de ensino da língua inglesa”. 02 artigos científicos - UFMT. 04 Livros publicados, sendo 1 - obra científica

go.miranda@uol.com.br

 

 

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS