24 de Maio de 2018,

Opinião

A | A

Terça-Feira, 13 de Fevereiro de 2018, 09h:59 | Atualizado:

Rodrigo Rodrigues

Nem vem que não tem

rodrigo-rodrigues.jpg

 

José Pedro, em meu último artigo sobre você, eu disse que não escreveria mais lhe criticando, pois não foram um ou dois anos em que eu sempre previ o desastre que seria um eventual governo seu. Chegou a ficar muito repetitivo, e não consegui chegar ao meu objetivo, que era alertar os formadores de opinião, que têm acesso aos jornais impressos e aos sítios de notícias. 

Ao contrário do que muita gente pensa, eu não tenho nada contra o senhor, governador, de caráter pessoal. Nenhuma mágoa. 

Em verdade eu vos digo, que o *esseélentíssimo governador nunca me faltou com a verdade. Quando em meados de 2008 para 2009, eu coordenava o Partido Democrático Trabalhista em Mato Grosso e nos conhecemos, eu percebi qual era o seu verdadeiro objetivo e seu caráter. Houve até um episódio, em que fomos juntos para Alta Floresta e ele ainda era membro do Ministério Público Federal, e eu matando a saudade voando na direita de um Sêneca 3, já iniciando a descida, e escutando o então Procurador afirmar que não acreditava em Deus, e até sendo irônico com os outros companheiros passageiros, sobre essa questão de fé. Decidi, naquele momento, testar se aquilo era apenas uma bravata ou se realmente nosso governador Pedro Taques era um ateu convicto. Capei o motor, colei o manche, dei pedal para o lado direito, provocando um stoll com queda de asa, o que resultou num semi-parafuso. Os outros três ocupantes do banco de trás, apelaram para Deus, mas Pedro Taques, mesmo colado no teto pelo G negativo, não se manifestou. Após o pouso em Alta Floresta, no hotel,  o governador me confidenciou que nem parquinho de diversão ele pode ir, porque qualquer força centrífuga lhe trava a garganta. Pedi, então, que ele não comentasse nada com o proprietário do avião, com receio de que o piloto tivesse algum problema por ter entregue o avião para meu comando. Ele cumpriu com esse trato. Que eu saiba, o proprietário do avião, só vai saber dessa história agora, caso leia este artigo, portanto ele cumpriu o combinado, e foi a única coisa que eu tratei com ele, portanto, não tenho nada para reclamar dele, nenhuma mágoa. Antes mesmo da convenção eu já tinha identificado quem era o verdadeiro José Pedro Gonçalves Taques, sua índole e sua pretensão. Logo alertei os meus companheiros de partido e num segundo momento, para desencargo de consciência, escrevi vários artigos que foram publicados na maioria dos veículos de comunicação de Mato Grosso. Tendo sido um dos entusiastas da sua candidatura e tendo abonado a sua ficha de filiação no PDT, por ter organizado vários eventos no interior, por tê-lo apresentado as lideranças políticas e promovido várias palestras em faculdades no interior e, vendo que ele utilizava algumas frases e ideias minhas em sua campanha, me senti certa forma responsável e fui tentar corrigir o erro. Hoje me sinto de alma lavada, no sentido de ter me redimido por ter me manifestado a tempo, como eu disse, antes mesmo da convenção do partido, quando ele foi candidato ao senado em 2010. 

Sendo repetitivo, reafirmo, não tenho nada pessoal contra o Pedro Taques, não tenho mágoa alguma, nunca lhe ofendi no campo pessoal e espero que passados, quase, sete anos, com o seu amadurecimento, como homem e na política, que ele também não tenha nenhum ressentimento contra minha pessoa. Se tivesse interpretado e assimilado as minhas críticas, não teria errado tanto, o que evitaria a sua morte prematura na política e o risco de se tornar mais uma dessas almas penadas, que tem uma trajetória curta de sucesso e depois caem no ostracismo, e não aceitam o fato de terem sido alijados do processo e continuam rondando e tentando se reinserir na política, submetendo-se a situações humilhantes. Um grande amigo me dizia, que para fazer política não, mas para concorrer a um mandato era preciso estar coma vida resolvida em todos os aspectos - familiar, empresarial, mental, corporal. No meu caso, estou tentado fazer uma dieta para chegar a cem por cento “das coisas resolvidas”. 

O que eu pretendo não é criticar a pessoa do Pedro Taques, nem sua incompetência como governador.Quanto ao seu mandato de senador, temos que relevar. Foi medíocre, no sentido literal da palavra, mediano. Afinal de contas, depois de Antero Paes de Barros ter ocupado a Câmara Alta, vai ser difícil um mato-grossense contemporâneo superá-lo, assim como Blairo ou Silval não conseguiram superar Dante de Oliveira. Mas superar Silval ou Blairo era mel na chupeta. 

O governador precisa, no apagar da luzes, tentar um gesto de grandeza, alguma coisa que no futuro, quem lhe quer bem, tenha argumento para defendê-lo. E neste momento, só há uma coisa que está ao alcance dele: admitir que não nasceu para o negócio, não dá conta de tocar um baguncinha de ponta de esquina (como eu já disse em um artigo) e pleitear talvez um cargo a deputado federal ou a deputado estadual, recomeçando a sua trajetória política. Porque candidatura a reeleição ao governo será um fiasco, o povo já mandou avisar que não adianta nem vir de garfo que hoje é dia de sopa, para tirar o tamanco que o piso tem sinteco e para não trazer a escada que o incêndio é no porão. Volte para pegar seu lugar na fila e reveja essa esta questão de acreditar em Deus. Como a mim mal nenhum fez, não tenho do que lhe perdoar, mas peça à Deus para que Ele não só lhe perdoe, mas interceda e opere um milagre, para que o povo mato-grossense consiga, em cinco ou seis anos, lhe perdoar por todo o mal que você causou a eles. Pois esse povo tem sido tão injustiçado quanto foi Wilson Simonal. Sacudim, sacundá, sacundim, gundi, gundá!

*Marca registrada do jornalista Vila.

Rodrigo Rodrigues, jornalista e gestor público.

 

 

Postar um novo comentário

Comentários (11)

  • cluadia Morales | Quarta-Feira, 14 de Fevereiro de 2018, 06h57
    2
    1

    ESTE Ê O NOME PRA GOVERNAR MATO GROSSO

  • Goiania é melhor que Dubai | Terça-Feira, 13 de Fevereiro de 2018, 22h11
    3
    0

    Uh sô, o Gilvam Moreira déve di sê uma mumia viva, dessas que qué a vorta dos militar. Aqui em Goiania nói interra tudo. Filinto Muller foi um assassino, um psicopata que mancha a história do Brasiu, e vem essa mumia querê falâ bem dele. No mais, o Taques num servia nem pra ser vereador aqui em Goiania.

  • Said Joseph | Terça-Feira, 13 de Fevereiro de 2018, 21h04
    2
    0

    Concordo com o articulista. Pedro Taques, jamais daria conta de administrar uma banca de revista, avalie o Estado de Mato Grosso.

  • Fernando | Terça-Feira, 13 de Fevereiro de 2018, 20h28
    0
    0

    Acho que alguns não entenderam a colocação do Rodrigo, ele não quis dizer que Antero foi o melhor senador que Mato Grosso já teve, ele quis dizer que depois de Antero, vai ser dificil ter outro melhor, mas não quer dizer que o Antero tenha superado os Senadores passados.

  • Romario Queiroz | Terça-Feira, 13 de Fevereiro de 2018, 20h03
    2
    2

    Pela formação politica, pela postura, por seu conhecimento em gestão Rodrigo Rodrigues ê disparado o melhor candidato contra o Pedro Taques.

  • Erika Soares | Terça-Feira, 13 de Fevereiro de 2018, 17h05
    0
    0

    Gilvam Moreira, o articulista deixa claro que se trata de uma analise "conteporeana".

  • Saulo | Terça-Feira, 13 de Fevereiro de 2018, 12h41
    7
    5

    Muito bom artigo, só a verdade sobre o Taques.

  • Gilvam Moreira | Terça-Feira, 13 de Fevereiro de 2018, 11h00
    7
    2

    Discordo de alguma parte deste texto, mais concordo com alguns. A minha maior discordandia é com a sua INJUSTICA com relação ao seu puxa-saquismo a atuação do Sr. Antero Paes de Barros, quando Senador pelo Mato Grosso, entre 1999/2007, considerando-o o supra-sumo do Senado, ora bolas, tivemos outros Senadores que brilharam e destacaram até mais do que o Antero, como exemplo os que conheci atuando no Senado, como Filinto Múller (lider da bancada do PSD, do Governo e da ARENA),Vice Presidente e Presidente do Senado quando morreu em 1973, Mendes Canale, Presidente da Comissão de Constituição e Justiça, Lider do Partido e 1° Secretário do Senado, e mais recentemente os ilustres e respeitaveis Senadores Roberto Campos e Julio Campos. Roberto foi Presidente da Comissão de Economia e da Comissão de Relação Exterior,e Lider do PDS, Julio Campos, foi Presidente da poderosa Comissão de Serviços de Infraestrutura, 1° Secretário da Mesa Diretora, Vice-Presidente do Senado na gestão José Sarney, e implantador da Agencia Senado de Noticias, da Televisão e Radio do Senado, o grande construtor de obras de ampliação do Senado. O Senador Antero, foi apenas um Senador de Discursos e pronunciamentos violentos na CPI e no plenário, com pouca atuação em termos de Leis. A verdade tem que ser dita.

  • Chacal | Terça-Feira, 13 de Fevereiro de 2018, 10h45
    4
    9

    Excelente, como de costume.

  • Servidor público estadual | Terça-Feira, 13 de Fevereiro de 2018, 10h24
    7
    2

    Quanto a acreditar em Deus só existe um caminho que leva ao Céu, o de acreditar e muito mais que isso confiar. Quanto ao mandato de senador eu como ouvinte da rádio senado discordo, acho que tanto o mandato foi bom que o mesmo se elegeu governador, e aí eu concordo com o articulista seu mandato como governador tem sido sofrível, mais pelos erros de escolha e comunicação com o povo que por sua índole. Agora articulista não há regime que o faça se eleger a qualquer cargo, desiste, nem pra vereador em alto Araguaia.

  • Arnaldo Dorileo | Terça-Feira, 13 de Fevereiro de 2018, 10h13
    5
    9

    Mais uma vez cirurgico. Hoje ê o melhor texto de MT. Valeu pelo "esseêlintissimo"...kkkkkkk, Bela homenagem ao meu amigo vila.

Loading...

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS