21 de Julho de 2018,

Polícia

A | A

Segunda-Feira, 16 de Abril de 2018, 12h:21 | Atualizado:

DESABAFO NO FACE

Filha de verdureiro afirma que médicos trataram pai "como cachorro"

Francisco Lucio Maia foi atropelado por Letícia Bortolini na noite do último sábado


Da Redação

leticia-acidente.jpg

 

A filha do vendedor de verduras Francisco Lucio Maia, morto após ser atropelado pela médica Letícia Bortolini na noite do último sábado, usou as redes sociais para expor sua indignação com o caso. Francimara Silva escreveu que seu pai foi tratado “como um cachorro” quando a médica e seu marido, o também médico Aritony de Alencar Menezes, decidiram fugir do local do acidente. 

Os acusados só foram localizados após uma testemunha segui-lo e aciona a Polícia Militar. A médica foi presa em flagrante e teve a prisão preventiva decretada após audiência de custódia realizada neste domingo. Ela foi encaminhada para uma cela separada na Penitenciária Feminina Ana Maria do Couto May, em Cuiabá.

Na postagem, a filha do vendedor ambulante pede por justiça e aponta a gravidade do caso de omissão de socorro por se tratar de dois médicos. 

“Gente sei que a justiça do homem é falha e que nada que eu faça vai trazer meu pai de volta, é uma dor muito grande, me ajude de alguma forma vamos compartilhar comigo, para que esses médicos se é que possam ser chamados disso, sintam na pele de alguma forma. Leticia Bortolini e seu marido Aritony Alencar, meu pai não é cachorro merecia ao menos socorro...(sic)”, publicou.

Junto à publicação, a jovem compartilha ainda imagens da médica em uma festa ao lado de barril de cerveja. Não há informação de quando a foto foi tirada. 

No entanto, a Polícia Militar relatou em boletim de ocorrência de que Leticia, apesar de se recusar a fazer o exame do bafômetro, apresentou sinais de embriaguez.

O caso segue sob investigação da Delegacia de Delitos de Trânsito.

filhavendedor.jpg

 

Postar um novo comentário

Comentários (6)

  • Rogério | Segunda-Feira, 16 de Abril de 2018, 16h19
    6
    0

    dois bandidos e assassinos que não vão ficar na cadeia.

  • Bianca | Segunda-Feira, 16 de Abril de 2018, 14h37
    10
    2

    Quem somos nós para julgá-los né? só acho que a pena deveria ser igual para todos, independente de diplomas, sem regalias, sem fiança. Só assim esse ricos iriam pensar 2x antes de sair por aí fazendo presepadas e ainda sair impunes. Que triste! Que Deus conforte os familiares e amigos.

  • Carlos | Segunda-Feira, 16 de Abril de 2018, 14h05
    21
    0

    Nossa, o namorado dela é o Dr. Aritony! Que decepção meu deus, deixarei de ser paciente dele. Vou procurar outro urologista! Nunca imaginei isso. E meus pêsames a família do verdureiro.

  • Orlando evangelista Cunha | Segunda-Feira, 16 de Abril de 2018, 13h45
    22
    0

    O Conselho Regional de Medicina deveria cassar os diplomas destes dois médicos, pois além de atropelarem o pobre vendedor ambulante, ainda estavam embriagados e fugiram covardemente, sem prestar socorro. Cadeia neles e sem diplomas de médicos!

  • Tah Dito | Segunda-Feira, 16 de Abril de 2018, 12h57
    28
    1

    Tem que investigar se não compraram a CRM não podem ser médicos de verdade pra serem tão omisso com uma vida.

  • Cuiabano | Segunda-Feira, 16 de Abril de 2018, 12h37
    40
    4

    Esperar o que desta classe que se acha....esperar o que do CRM...que geralmente para fazer uma denúncia contra um médico e a coisa mais difícil....CRM NO MÍNIMO DEVERIA CASSAR OS DOIS LIXOS QUE MATARAM ESSE TRABALHOR....FAZER PERDER A SUA CARTEIRA DE MÉDICO TANTO O LIXO HOMEM COMO O LIXO MULHER....MAIS SERÁ QUE UM CRM NEUTRO VAI TOMAR PROVIDÊNCIAS....é muita impunidade esta classe de médicos....não é porque são ricos que pode sair por ai matando um pai de familia trabalhador...e agora quem vai sustentar esta familia...uma vez que o pilar da família esses pingunços o matou.....deveria existir pena de morte...

Loading...