20 de Setembro de 2018,

Polícia

A | A

Quarta-Feira, 13 de Junho de 2018, 23h:35 | Atualizado:

GARANHÃO DA TRIBO

PC revela que pai de bebê enterrada viva já está casado com outra índia em MT

Criança segue internada em estado grave em Cuiabá


Da Redação

bebe.jpg

 

O delegado Deuel Paixão de Santana, responsável pelo inquérito policial que apura o caso da menina indígena enterrada viva em Canarana (837 km de Cuiabá), disse que vai intimar o pai da criança para colher depoimento sobre o ocorrido. Todavia, esta será uma segunda etapa do processo investigativo. “Nós concluímos o inquérito e indiciamos a avó da adolescente por homicídio qualificado.  O MP já ofertou a denúncia, mas nós vamos continuar as investigações para verificar se há participação de outras pessoas nesse caso”,  explicou.

Segundo o delegado, as informações são de que o pai da criança já estaria casado com outra indígena de uma etnia diferente da mãe do bebê.  “Quanto ao pai da recém nascida que foi registrada como Analu vamos localizá-lo, por meio da Funai, para colher as declarações dele . O que se sabe até agora é que ele manteve relação com a adolescente, mas que hoje já estava casado com outra indígena”, disse em entrevista a TV Vila Real.

A criança que ainda está internada em estado grave em Cuiabá foi enterrada vida pela bisavó e ficou soterrada por cerca 6 horas. Uma equipe da polícia Militar foi que resgatou o bebê.

O delegado concluiu que a avó e a bisavó planejarem o que fariam com bebê seguindo as tradições culturais da tribo. Tapoalu Kamayura, de 33 anos, está presa na Cadeia Pública de Nova Xavantiva.

Já a bisavó, Kutsamin Kamayura, 57 anos, foi encaminhada para sede da Funai em Gaúcha do Norte. As investigações que surgirem a partir desse momento serão anexadas ao inquérito já encaminhando ao Poder judiciário.

 

Postar um novo comentário

Comentários (5)

  • Patricia | Quinta-Feira, 14 de Junho de 2018, 14h01
    0
    0

    Antonio...nao podemos generalizar! Respeito e bom e todo mundo gosta! Isso que vc esta dizendo e uma mentira! Nos respeitamos uns aos outros! Pelo ocorrido c bebê sinto muito! Mas os brancos os nao indígenas, vcs que se dizem civilizados, tambem comentem atrocidades contra crianças, mulheres abortam, jogam bebê no lixo! Os orfanatos estao cheio de crianças! Nao podemos julgar...mas a lei e pra todos! E temos que deixar essa cultura de infanticidio! Antes de vcs julgarem conhecam!

  • NASCIMENTO | Quinta-Feira, 14 de Junho de 2018, 07h53
    0
    0

    Interessante é que estes ditos "INDÍOS", recebem uma fortuna, para não fazer nada em nome da TRADIÇÃO INDÍGENA, e quando colocam a tradição em ação são punidos pelos ditos "BRANCOS". VAI ENTENDER!!!!!!!

  • Leal | Quinta-Feira, 14 de Junho de 2018, 07h12
    1
    0

    Pois esse..."garanhão"...tinha que estar sendo processado também..

  • Fábio | Quinta-Feira, 14 de Junho de 2018, 06h12
    9
    2

    Suelen Alencar; Muda o nome da chamada da matéria. Garanhão da tribo para Aliciador de menor da tribo, bandido da tribo, e outros gêneros. Para de querer ficar idolatrando esses tipos de gentinha.

  • Antônio | Quinta-Feira, 14 de Junho de 2018, 03h32
    3
    4

    Gente vcs não sabem como são os índios.... é todo mundo comen.. todo mundo...