20 de Março de 2019,

Política

A | A

Quinta-Feira, 14 de Março de 2019, 17h:36 | Atualizado:

AÇÃO DE CASSAÇÃO

Às vésperas de julgamento no TRE, advogado deixa defesa de senadora

Diogo Egídio Sachs deixou defesa de Selma no último dia 12


Da Redação

diogo-selma.jpg

 

O advogado Diogo Egídio Sachs renunciou à defesa da senadora Selma Arruda (PSL) no caso em que ela responde por abuso de poder econômico, no Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Na última terça-feira (12), o jurista notificou a senadora e seus dois suplentes, Gilberto Possamai e Clérie Fabiana, ambos do PSL, de sua decisão. “Sirvo-me desta para notificar a todos da renúncia do poderes a mim conferidos por vossas senhorias nos autos dos processos das ações de investigação judicial eleitoral, que tramitam no egrégio Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso, portanto, tornado nulo e sem efeito aquele instrumento de procuração outorgado à minha pessoa, dessa data em diante, bem como, sem efeitos também todos os substabelecimentos por mim outorgados aos advogados constantes nos autos”, informou.

No documento, Sachs também alerta que, pelo prazo de 10 dias, ainda defenderá a chapa, para que os políticos não sofram prejuízo por falta de advogado. Os três respondem a uma ação por suspeita de abuso de poder econômico, supostamente praticado pela chapa durante as eleições de 2018.

O caso teve início após o empresário Junior Brasa, dono da Genius Publicidade ajuizar uma ação por calote contra a senadora. Na peça, o empresário acusa Selma de não quitar os serviços contratados, cujo acordo foi firmado durante período de pré-campanha.

Com base nisto, dois de seus adversários na disputa ao Senado – o ex-vice-governador Carlos Fávaro (PSD) e o advogado Sebastião Carlos (REDE) – ajuizaram no TRE pedidos de cassação da chapa da senadora, a acusando de ter praticado Caixa 2 durante as eleições. Além dos dois políticos, a Procuradoria Regional Eleitoral também ajuizou ação contra Selma, por abuso de poder econômico.

Em sua defesa, a senadora afirmou que não existe crime de Caixa 2 antes das convenções, uma vez que, para existir a prática de tal crime, é fundamental que a pessoa seja candidata, ou seja, já ter seu nome aprovado nas convenções. Devido à quantidade de processos e semelhança entre os casos, o desembargador Pedro Sakamoto determinou o trâmite em conjunto e unificou os casos.

O caso já está em fase de conclusão e deve ser julgado pelo no TRE ainda neste mês. Os acusados já apresentaram defesa final, assim como o Ministério Público Eleitoral (MPE) já se manifestou pela cassação da chapa.

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE), no ano passado, determinou prioridade aos TREs no julgamento de casos envolvendo políticos eleitos, para que tudo se resolva da forma mais rápida possível e cause menos prejuízos à democracia brasileira. Isso porque há casos em que políticos cassados só têm o caso transitado em julgado após o final do mandato.

Caso Selma seja cassada, e a decisão seja mantida pelas instâncias superiores, Fávaro, que ficou em terceiro colocado nas eleições, não será beneficiado, uma vez que o procedimento aponta para a realização de novas eleições.

Selma Arruda foi eleita senadora no dia 7 de outubro de 2018, ao receber 678.458 votos, classificando-se em 1º lugar.

Postar um novo comentário

Comentários (10)

  • Robson Souza | Sexta-Feira, 15 de Março de 2019, 08h02
    0
    0

    Eu venho dizendo desde o início desse processo que essa senhora faz uma lambança na eleição achando que estava acima do bem e do mau. Grande engano, a justiça eleitoral brasileira vem apertando o cerco faz horas e a classe política insiste em manter os velhos hábitos. Vai ser cassada por mentir o tempo todo. Veja o caso de arrolar o Deputado Wilson Santos e Kleber Lima no processo em que ela acusa do TRE, que vergonha, mentiu de novo. Tenha a santa paciência.

  • Antonio | Sexta-Feira, 15 de Março de 2019, 07h26
    0
    0

    Mera estratégia sorrateira da Selma para adiar o julgamento até a indicação de um novo defensor.

  • Joao do Caminhao | Sexta-Feira, 15 de Março de 2019, 06h46
    0
    0

    Eu que nao sou Advogado ja saquei a jogada. A Vaca ja foi pro brejo mesmo.O advogado sai na vespera do julgamento, a Selma nomeia outro advogado e este peticiona e pede para o Juiz Prazo para analizar o processo. Ai ganha tempo pra ver se consegue algo DIFERENTE. Entenderam?

  • Abram olho | Sexta-Feira, 15 de Março de 2019, 06h37
    0
    0

    Esta sociedade deve ter passado pela caravana do txs e nao tirou a catarata kkkkk esta mulher e uma afronta p tds nos, usou de esquemas fraudulentos p se eleger, usou cargo de juiza p se beneficiar eleitoralmente na imprensa, agora acusa parceiros d chantagem, esta mulher é uma fraude ambulante

  • Carlos Cuiabano | Sexta-Feira, 15 de Março de 2019, 06h09
    0
    0

    Rolou DH do outro lado pro ADV vazar

  • jose alves silva | Sexta-Feira, 15 de Março de 2019, 05h42
    0
    0

    a eleição dessa senhora foi uma fraude do inicio ao fim o certo seria ter outra eleição para a vaga dela

  • Vidente | Quinta-Feira, 14 de Março de 2019, 22h21
    13
    2

    O Bateau Much está afundando. Salve-se quem puder.

  • Sociedade | Quinta-Feira, 14 de Março de 2019, 21h53
    7
    23

    Dr Selma poderia ser candidata a Governadora que venceria...mulher justa e honestidade chegou e parou....votei nela....Selma Governadora....Selma PRESIDENTE.....mulher mais humilde e honesta que já vi....

  • Keyle de Assis | Quinta-Feira, 14 de Março de 2019, 20h54
    19
    5

    Pelo jeito ninguém quer pegar o caso dessa dona, pq a vergonha vai ser grande depois.

  • Rogério | Quinta-Feira, 14 de Março de 2019, 20h12
    19
    5

    E pra cadeia, quando ela vai???

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS