10 de Dezembro de 2018,

Política

A | A

Terça-Feira, 08 de Dezembro de 2015, 19h:00 | Atualizado:

Chefe do MPF promete outras fases de Operação Ararath


Gazeta Digital

 

Procurador-chefe do Ministério Público Federal em Mato Grosso, Gustavo Nogami, que participou do evento do programa “Um por todos e todos por um”, no palácio Paiaguás, no início da tarde desta terça-feira (8), confirmou que novas fases da Operação Ararath irão acontecer no Estado.

Porém, ao ser questionado se as investigações atingiriam mais políticos, o chefe do MPF preferiu não comentar sobre os andamentos  das operação. “Não podemos divulgar nada neste momento, nem estimar. Não é possível, mas são diversas operações que irão ocorrer”, disse.

Com relação ao programa onde recursos recuperados pela Operação Ararath, serão revertidos e destinados para a realização de um programa sobre ética e cidadania com 100 mil alunos do 5º ano do Ensino Fundamental de escolas, o procurador da república pretende formar uma corrente de ética e cidadania.

“O MPF tem um planejamento estratégico de ser reconhecido nacional e internacionalmente até 2020. A instituição combate a corrupção e queremos trabalhar na repressão e estas crianças que serão replicadores da cidadania e ética em suas casas e ciclo de amizades”, comentou.

O programa “Um por todos e todos por um” existe desde 2008 e busca promover ações educativas de estímulo à ética, cidadania, responsabilidade cidadã, participação social, democracia e autoestima, por intermédio dos personagens em quadrinhos da Turma da Mônica, criados por Mauricio de Sousa, que esteve presente no evento.

Além de membros do MPF, também estão engajados no fortalecimento do programa a Justiça Federal, Governo do Estado e a Controladoria Geral da União, que assinarão a parceria para viabilizar o desenvolvimento do programa.

Por meio da parceria, foi autorizado pela Justiça Federal a utilização de parte do valor recuperado pela Operação Ararath. A impressão dos kits pedagógicos para atender alunos e professores vai custar R$ 482.6 mil. O material pedagógico foi desenvolvido pela Controladoria Geral da União (CGU) em parceria com o Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crimes e com o Instituto Maurício de Souza.

Entre os políticos já citados em fases anteriores da operação nos vários inquéritos da Ararath estão: o ex-deputado José Riva, o deputado estadual Mauro Savi (PR), o prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes (PSB), o ex-deputado e atual conselheiro do TCE, Sérgio Ricardo (PR), o ex-governador Silval Barbosa (PMDB), o ex-secretário de Fazenda, Eder Moraes (PHS), os ex-conselheiros Alencar Soares e Humberto Bosaipo, entre outros.  

 

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Maria | Terça-Feira, 08 de Dezembro de 2015, 21h31
    0
    0

    tiraram do curriculum a matéria Educação Moral e Cívica, voltar a cantar o Hino Nacional e do Estado ,.......

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS