20 de Setembro de 2018,

Política

A | A

Quarta-Feira, 11 de Julho de 2018, 11h:57 | Atualizado:

PERÍODO ELEITORAL

Deputados trabalharão 1 dia por semana em MT; cada falta custará R$ 6,3 mil

Presidente da AL, Eduardo Botelho informou que decreto deve ser apresentado até dia 17 de julho


Da Redação

olhar-botelho.jpg

 

O deputado estadual e presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, Eduardo Botelho (DEM), irá cortar em 25% o salário dos parlamentares que se ausentarem das sessões durante o período eleitoral. Segundo ele, o decreto determinando a mudança deve ser publicado até o próximo dia 17 de julho.

Atualmente, o salário mensal dos deputados estaduais é de R$ 25.300, ou seja, cada ausência representará R$ 6.325 a menos nos vencimentos dos parlamentares. A medida, de acordo com Botelho, é para se evitar a falta de quórum e garantir a votação de projetos importantes na Casa de Leis.

Botelho também explicou que as quatro sessões semanais na ALMT serão concentradas nas quartas-feiras durante o período eleitoral. Atualmente, elas ocorrem às terças no período vespertino; quartas de manhã e a tarde; e na quinta no período matutino.

O desconto de 25% nos salários será feito caso o parlamentar falte justamente nestas sessões. “Estamos fazendo uma mudança, onde vamos concentrar as votações na quarta-feira e descontar 25% dos deputados que não comparecerem. Acredito que não teremos problema de quórum para as votações. O decreto já está pronto e prevê este corte. Entramos em recesso no dia 18, então devo publicar isso até o dia 17”, afirmou Botelho.

LDO

O presidente da AL confirmou que a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) será votada somente após o recesso parlamentar. O novo prazo foi solicitado para que deputados possam apresentar emendas ao texto proposto pelo Governo do Estado.

Para Botelho, porém, o ideal é que a Assembleia vote as matérias orçamentárias somente após o processo eleitoral. Ele coloca que é importante o novo governo participar das discussões do Orçamento que irá administrar.

"Na minha opinião, a LDO e a LOA deveriam ser feitas após a eleição, já que você terá que discutir com o próximo governo o que ele quer e pretende. Não podemos criar tudo para o próximo governo, sem saber quem será o governador", assinalou.

 

Postar um novo comentário

Comentários (14)

  • jpa | Quarta-Feira, 11 de Julho de 2018, 17h19
    0
    0

    NOSSA COITADOS 1 DIA É MUITO , TADINHO ESTÃO EXPLORANDO OS DEPUTADOS . E AINDA NÃO PODE FALTAR QUE VAI DESCONTAR MUITA SACANAGEM COM OS NOBRES PARLAMENTARES.

  • ana | Quarta-Feira, 11 de Julho de 2018, 17h13
    1
    1

    não reeleja ninguém. campanha 2018

  • Carlos Nunes | Quarta-Feira, 11 de Julho de 2018, 16h57
    2
    1

    Gostei tanto da matéria que vou comentar de novo...é bom a gente eleger na próxima eleição NOVOS DEPUTADOS ESTADUAIS que trabalhem mais. Uma nova safra de pessoas podem começar a escrever uma nova página na história política de Mato Grosso. ZERA TUDO, passa a régua. Os políticos não são importantes como eles imaginam...nem insubstituíveis. Pelo contrário é só não votar neles, vota em outros. Assim como eles tão contratando marqueteiros caros pra fazer campanha política...nós, os eleitores, os verdadeiros donos do Poder através do voto, temos que iniciar uma campanha> RENOVAÇÃO NA POLÍTICA...TUDO NOVO, DÊ UMA NOVA CHANCE PARA MATO GROSSO.

  • Matogrossense | Quarta-Feira, 11 de Julho de 2018, 16h54
    2
    0

    Não precisa Não!! Libera todos estes vermes de trabalhar até o limpa em outubro. Ninguém será reeleito.

  • Carlos Nunes | Quarta-Feira, 11 de Julho de 2018, 15h45
    2
    0

    Êta emprego bom...acho que vou candidatar a deputado também. Trabalha só 1 dia por semana. Lembrei da piada do Barnabé, onde 1 cego, acompanhado da mulher, tava assistindo o comício de um político. Tudo o que o político falava, o cego perguntava pra mulher: o que é que ele falou? E a mulher repetia...Até que o politico demagogo pra burro, prometeu: se eu for eleito, os funcionáríos, os operários, só vão trabalhar 3 dias por mês. E o cego...o que ele falou? A mulher repetiu...Aí, o cego arrematou: E sobre as férias, o que ele falou? Quem ser esse meu comentário, não pode rir muito. Deputados vão trabalhar 1 dia por semana, ou seja, 4 dias por mês. E sobre as férias, o que eles falaram...???

  • marcreao do semeio | Quarta-Feira, 11 de Julho de 2018, 15h19
    4
    1

    esse presidente é o RIVA 2, mais sua queda será mais rapida

  • Regina | Quarta-Feira, 11 de Julho de 2018, 14h15
    2
    4

    Interessante essa matéria, parece que a participação do legislador se resume a sua participação em sessões, ocorre que o parlamentar possui outras pautas a serem cumpridas, a sessão é uma delas. Como vai descontar do salário do parlamentar se ela esteve durante o dia na Assembleia, por exemplo, atendendo pessoas, participando de reuniões de comissão e não ficou para a sessão plenária. O site deveria se informar melhor a respeito do trabalho do parlamentar.

  • Dito | Quarta-Feira, 11 de Julho de 2018, 14h07
    2
    0

    O salário é R$ 25.000,00 mais o custo é R$ 100.000,00, vai descontar 1.000,00?

  • alexandre | Quarta-Feira, 11 de Julho de 2018, 13h50
    10
    2

    e o que quebra o Estado, é o salarios dos servidores do executivo, que trabalham 5 dias por semanas..legislativo e judiciario nadam no dinheiro...

  • JUNIOR | Quarta-Feira, 11 de Julho de 2018, 13h25
    10
    2

    É PRA ESTE " ESGOTO" E PARA O PAGAMENTO DE UMA MAIORIA DE FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS INCOMPETENTES, QUE É JOGADO FORA 60% DA ARRECADAÇÃO DO ESTADO.

  • orlando | Quarta-Feira, 11 de Julho de 2018, 12h50
    13
    0

    Grande sacanagem que vão fazer com os deputados, ter que trabalhar um dia por semana, rsrrsrsrs...vão ficar todos deprimidos.

  • ROBERTO FAGUNDES | Quarta-Feira, 11 de Julho de 2018, 12h36
    19
    0

    Isso ai é um faz de conta pra população pensar que vcs trabalham

  • Edmilson Rosa | Quarta-Feira, 11 de Julho de 2018, 12h15
    16
    0

    Muita sacanagem.....veja isso ainda vai votar neles. Principalmente os que acorda 5 ou 6 da manhã e volta 6 a 7 horas da noite e ganha só um salário mínimo....acorda Mato Grosso e Brasil. Gente nova e partido novos

  • Marcelo | Quarta-Feira, 11 de Julho de 2018, 12h13
    12
    0

    Eu não acredito!!!! Ponto final.