13 de Dezembro de 2018,

Política

A | A

Quinta-Feira, 06 de Dezembro de 2018, 00h:10 | Atualizado:

CAMARO, HONDA, HILUX

Ex-servidores da Sema compram "carrões" com propina de fraudes em processos, diz TJ-MT

Operação Polygnum investiga fraudes no sistema do CAR


Da Redação

polygonum2.JPG

 

Os ex-servidores da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (SEMA), Hiago Silva Queluz e Brunno César Paula Caldas, foram pegos pela Polícia Civil por causa da ostentação sem ter lastro financeiro. Os dois adquiriram veículos que não condizem com suas realidades financeiras, sendo um Honda Civic, uma Hillux e um Camaro, com suposto dinheiro de propina.

Os dois foram alvos da Operação Polygunum, deflagrada pela Polícia Judiciária Civil (PJC) na manhã de segunda-feira. As informações constam na representação do Ministério Público do Estado (MP).

De acordo com o documento, obtido com exclusividade pelo FOLHAMAX, Brunno foi o responsável por pagar uma quantia significativa do Honda Civic, que ficou em posse de Hiago. As investigações apontam que os outros dois veículos foram comprando com dinheiro de propina.

Segundo o documento, o administrador de fazendas, Márcio José Dias Lopes, foi um dos que pagaram propina a Brunno pelas articulações arranjadas pelo ex-servidor para fraudar o sistema de Cadastro Ambiental Rural da Sema. Um dos pagamentos se deu por meio da entrega do Camaro.

As investigações apontam que o administrador transferiu o veículo para Carlos Luiz Dorileo Caldas, pai de Brunno. Pouco tempo depois, no dia 16 de agosto, o carro foi transferido para Sander Luiz Maciel, filho de Joires Antônio Maciel, outro investigado pela operação.

Não parou por aí, o Camaro foi então alienado para Paulo Roberto da Rocha, que reside em Colíder. Na mesma época, Bruno passou a ser o dono de uma Hillux vermelha, comprada por Joires Maciel.

A suspeita das autoridades é que Brunno recebeu o Camaro de herança, mas depois quis trocar, recebendo a Hillux em troca. “Por esta razão, concluem as autoridades policiais que Brunno recebeu o veículo Camaro como pagamento dessas negociações, e, em seguida, trocou esse veículo com a caminhonete Hillux vermelha, e, ainda, pagou parte do veículo Honda Civic para o servidor Hiago”, explica o desembargador Orlando Perri, que decretou a operação.

Além disso, o magistrado também correlacionou que os supostos pagamentos de propina, instrumentalizados com os três veículos são compatíveis com as aprovações dos CARs. Além dos três veículos, a Polícia ainda constatou a existência de outra caminhonete, pertencente, oficialmente, ao ex-vereador de Nossa Senhora do Livramento, Volney Queluz.

A suspeita, porém, é de que a caminhonete – cujo modelo não foi identificado na representação – também seja fruto do pagamento de propina. Contudo, por falta de indícios mais sólidos, o caso ainda será investigado.

A OPERAÇÃO

De acordo com a SEMA, a 3ª fase da operação é resultado da auditoria que a Secretaria vem fazendo, desde agosto, em 595 cadastros ambientais rurais que estão sob suspeitas de terem sido fraudados. Os detalhes do esquema de fraudes no CAR foram fornecidos pela engenheira florestal Patrícia Moraes Ferreira, ré em uma ação derivada da 2ª fase da operação.

Ela firmou acordo de colaboração premiada. A engenheira entregou informações que apontaram a prática de crime ambiental contra a empresária e técnica agropecuária, Luana Ribeiro Gasparotto, dona da Proflora Engenharia e Consultoria Ambiental e que se passava por engenheira. O esquema envolveu servidores da Sema, incluindo o ex-superintendente, João Dias Filho.

A 1ª fase foi deflagrada em agosto. Na época, a polícia cumpriu quatro mandados de prisão e seis de busca e apreensão. Os alvos dos mandados de prisão na época foram João Dias Filho, a empresária Luana Ribeiro Gasparotto, a engenheira – e agora delatora – Patrícia Moraes Ferreira, e a também engenheira florestal Valdicleia Santos da Luz.

De acordo com as investigações, as duas engenheiras apresentavam à Sema relatórios técnicos falsos de tipologia vegetal, alterando, por exemplo, o tipo de flora presente em determinadas áreas. Um dos exemplos é a apresentação de territórios como cerrado, quando na verdade, a região é de floresta.

Isso porque o Código Florestal estipula que 80% de uma área tipificada floresta deve ser preservada, se dentro da Amazônia Legal, o que é o caso de Mato Grosso. No caso de a vegetação ser classificada como “cerrado”, a mesma legislação determina que 35% de sua vegetação nativa deve ser mantida. Por isso o interesse na fraude, para ampliar a área de desmatamento legal.

O ex-superintendente João Dias Filho foi solto cinco dias após ter sido preso, porém, na deflagração da 2ª fase da operação, ele voltou a ser preso. Ele foi exonerado pelo governador assim que o 1º mandado de prisão foi cumprido. O nome “Polygunum” é em referência a medidas geométricas de áreas, referenciadas e utilizada em cálculos de desmatamento.

 

Galeria de Fotos

Postar um novo comentário

Comentários (14)

  • João | Quinta-Feira, 06 de Dezembro de 2018, 15h25
    0
    0

    Gostei do nome da operação, todo mundo escreve errado.

  • Contribuinte Irado de tanto ser roubado | Quinta-Feira, 06 de Dezembro de 2018, 10h34
    4
    1

    Esses corruptos são amadores. Bem que o Riva poderia abrir uma escola para corruptos, para ensinar a "arte" de desviar dinheiro público.

  • JOSÉ | Quinta-Feira, 06 de Dezembro de 2018, 10h09
    17
    2

    SÃO EX-SERVIDORES COMISSIONADOS, DE CARGOS DE CONFIANÇA POR INDICAÇÃO POLIXIQUEIRA, NENHUM DESSES """PILANTRAS/PICARETAS""" SÃO CONCURSADOS, É BOM E OPORTUNO NÃO GENERALIZAR.

  • João costa | Quinta-Feira, 06 de Dezembro de 2018, 09h59
    11
    0

    Essas reportagens precisam ser melhor divulgadas por que não i forma se servidor efetivo o qual duvido muito de ter essa conduta ou é cargo comissionado pois da forma que está a reportagem está denigrindo a imãgem de servidores efetivos. É preciso cuidado com esse tipo de jornalismo pra não colocar todos na vala comum.

  • Furacão 2000 | Quinta-Feira, 06 de Dezembro de 2018, 09h46
    1
    0

    https://m.facebook.com/photo.php?fbid=10214933407590377&id=1283846473&set=a.4187614770345 A foto que está nesse link pode esclarecer muita coisa, acessem

  • Furacão 2000 | Quinta-Feira, 06 de Dezembro de 2018, 09h38
    1
    1

    https://m.facebook.com/photo.php?fbid=10214933407590377&id=1283846473&set=a.4187614770345 A foto que está nesse link pode esclarecer muita coisa, acessem

  • De olho | Quinta-Feira, 06 de Dezembro de 2018, 09h34
    6
    0

    Vixi esse tal de Bruno ostentava mesmo Mais uma hora chega demoram muito pra pega

  • De olho | Quinta-Feira, 06 de Dezembro de 2018, 09h34
    5
    0

    Vixi esse tal de Bruno ostentava mesmo Mais uma hora chega demoram muito pra pega

  • Antunes silva | Quinta-Feira, 06 de Dezembro de 2018, 09h10
    7
    0

    Alem de ladrões são burros. Quando se rouba dessa forma, comprar carros e imoveis são as maneiras mais notórias de assinar a culpa. Tem neguinho ai que não tinha grana para pagar um picolé na esquna e de repente aparece com carrões, mansões, relógios caros e lindas mulheres do lado. A ostentação so leva a um lugar " Cana".

  • ENG FLORESTAL SÈRIO | Quinta-Feira, 06 de Dezembro de 2018, 09h00
    14
    0

    Tal do pobre é fogo, ganha uma proprina e já vai sacar um Camaro, Civic, Hilux 2018, dizem que teve gente que até comprou 320i. Se fosse eu comprava um Tempra 97 2.0 com cheiro de mofo e sempre esquentando,

  • Aecio never | Quinta-Feira, 06 de Dezembro de 2018, 07h30
    8
    0

    Tá louco meu! mas tem banidos nesses governos.

  • vanderleia popuzuda | Quinta-Feira, 06 de Dezembro de 2018, 07h25
    25
    0

    HIAGO SILVA DE QUELUZ - Assessor Técnico III, Nível DGA-6. É esse tipo de gente que os governadores nomeiam com cargos de confiança,

  • Pedro | Quinta-Feira, 06 de Dezembro de 2018, 07h15
    24
    1

    Ex servidores de Deputados e políticos,.............jamais da Sema. Seria justo o site corrigir a matéria.

  • AMBIENTALISTA | Quinta-Feira, 06 de Dezembro de 2018, 05h58
    20
    0

    ENQUANTO ESTES SUJEITOS FAZEM AS MARACUTAIAS O MEIO AMBIENTE É DESTRUÍDO...AINDA BEM QUE EXISTEM SERVIDORES QUE TRABALHAM COM MUITA SERIEDADE E HONESTIDADE NA DEFESA DO MEIO AMBIENTE.....QUE A JUSTIÇA PUNA SEVERAMENTE ESTES QUE USAM DOS CARGOS PARA LOGRAR VANTAGENS INDEVIDAS...CADEIA NELES...

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS