20 de Março de 2019,

Política

A | A

Quinta-Feira, 14 de Março de 2019, 15h:10 | Atualizado:

MEMORIALRONDON

Governo investiga obra de R$ 3 milhões em MT

memorialrondon.jpg

 

Supostas irregularidades na obra do Memorial Rondon, no Distrito de Mimoso, em Santo Antônio do Leverger, a 35 km de Cuiabá, devem ser apuradas em uma comissão criada pelo governo de Mato Grosso.

A medida foi publicada no Diário Oficial do Estado (DOE) dessa quarta-feira (13).

A Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sedec) de Mato Grosso determinou a criação de uma comissão para apurar a responsabilidade dos serviços executados pela empresa responsável pela restauração do completo turístico.

Três servidores foram nomeados pela Sedec para a comissão e terão que apresentar, no prazo de 30 dias, um relatório sobre a obra.

A obra

Um espaço cultural que era para ser uma homenagem a um dos nomes mais ilustres de Mato Grosso virou símbolo da falta de planejamento do poder público. O Memorial Rondon foi inaugurado há dois anos e nem chegou a funcionar.

Na região onde a obra foi construída nasceu o Marechal Cândido Mariano da Silva Rondon, em 1865. Rondon ganhou fama nacional e internacional pelo seu legado.

Foi patrono das comunicações e o militar responsável pela demarcação de terras no país. Também implantou a política indigenista no Brasil e idealizou o Parque Nacional do Xingu.

O mais ilustre filho de Mimoso foi reconhecido com a criação do Memorial Rondon, um projeto ousado com a construção de um prédio em forma de oca no meio do Pantanal.

Cercado por paisagens exuberantes, o Memorial rondon foi projetado para ser um marco histórico e também um atrativo turístico, mas nem os moradores da região frequentam o local por falta de gestão e manutenção.

O prédio que custou R$ 3 milhões para ser construído tem dois andares com cinco mil metros quadrados de área construída.

 

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Morador | Sexta-Feira, 15 de Março de 2019, 06h45
    2
    0

    Eu sou morandor do local ...visitei a obra antes durante e depois de terminada inclusive fui na inauguração que contou com uma penca de políticos e puxa sacos...lembro no dia só elogios fotos e mais puxa sacos saindo até de baixo da obra ...por algum tempo a obra se manteve..o problema é que esse mesmo estado que quer saber das irregularidades é o mesmo estado que deixou abandonada essa obra se acabando com o tempo..largada aqui no meio do pantanal..nunca teve uma função.nunca se expôs nada aqui...não foi feita com único objetivo de trazer pra cá os restos mortais do Rondon? É cadê...trataram de tudo mas menos desse assunto ...a obra está hoje abandonada..já entraram ..já roubaram...agora que o estado vem se fazer presente? É a pergunta que não quer calar: pra que uma porcaria dessas, cara, que requer manutenção, pessoal , construída no meio de uma área que alaga todo ano...longe ..tem que punir mesmo ..os burros intelectuais que inventaram esse abacaxi.

  • JULIO MUZZI | Quinta-Feira, 14 de Março de 2019, 16h22
    3
    0

    É UMA PENA QUE ESTEJA FECHADO , ONDE PODERIA SER TRANSFERIDO PARA A INICIATIVA PRIVADA , VIA LICITAÇÃO/ CONCESSÃO .

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS