11 de Dezembro de 2018,

Política

A | A

Sexta-Feira, 07 de Dezembro de 2018, 12h:05 | Atualizado:

FALHAS GRAVÍSSIMAS

MP pede reprovação de contas de deputado que ficou com dívida de R$ 90 mil em MT

Procurador ainda cita que Bezerra fez "gastos fantasmas" com cobustíveis


Da Redação

bezerra.jpg

 

O procurador do Ministério Público Federal (MPF), Pedro Pouchain Melo Ribeiro, pediu a reprovação das contas de campanha do deputado federal Carlos Bezerra (MDB). O parlamentar foi reeleito nas eleições deste ano com mais de 59 mil votos. 

Entre as irregularidades apontadas, o procurador apontou que o parlamentar federal deixou de pagar dívidas de R$ 90,4 mil. “Outra irregularidade de maior gravidade, diz respeito às dívidas de campanha, sendo que o prestador de contas declarou a existência de despesas não quitadas no valor de R$ 90.454,70, sem registro de sobras financeiras. Não foi apresentada, contudo, a autorização do órgão nacional de direção partidária, amparando a assunção de dívida pelo partido político”, consta trecho do parecer.

Além disso, o procurador apontou que o deputado realizou gastos com combustíveis e não registrou os custos. O parecer aponta ainda que as pessoas que abasteceram os veículos não tinham relação alguma com a campanha do parlamentar. “Quanto aos gastos realizados com combustíveis, notadamente a realização de abastecimento de veículos não registrados na contabilidade e por pessoas sem nenhuma vinculação com a campanha não informados pelo prestador de contas, diga-se de passagem, mas tão somente identificados mediante diligências, circularização e cruzamento de dados pela equipe de auditoria mais do que evidenciar a severa distorção entre a contabilidade declarada e a realizada da campanha”, assinala.

O MPF ainda destaca que não foi identificada a origem dos recursos analisados no relatório, na quantia de R$ 262.462,35. O procurador lembra que o emedebista também não comprovou a utilização do Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC) no valor de R$ 309 mil, “demonstrando total descaso com a transparência necessária destinada à verba de origem pública”. 

Outras irregularidades foram diagnosticadas, como a utilização de recursos no valor de R$ 198 mil e indícios de recebimento indireto de recursos de origem estrangeira, no importe de R$ 1 mil. “Com a base de dados de pessoas físicas permissionárias de serviço público, foram identificados indícios de recebimento indireto de recursos de origem estrangeira, no importe de R$ 1.000,00. Não obstante a inexpressividade da quantia face ao valor global da arrecadação trata-se de fonte vedada com repercussão na regularidade das contas”, expressa o procurador no documento.

 

Postar um novo comentário

Comentários (5)

  • Joaquim | Sexta-Feira, 07 de Dezembro de 2018, 19h26
    0
    0

    Impressionante como tem tanta gente qque vota nesse cara. Inacreditável. Analfabetos de pai, mãe e parteira. Está aí só para se dar bem e você impor a teté no TCE

  • Matogrossense | Sexta-Feira, 07 de Dezembro de 2018, 18h51
    0
    0

    Se o TRE aplicar a lei e manter a reprovação, ira banir muitos ímpios da política: Bezerra, Janaína, Paletozinho.....etc....Temos esperança na lisura do TREMT.

  • PANTANAL | Sexta-Feira, 07 de Dezembro de 2018, 18h10
    2
    0

    AINDA TEM VAGABUNDO Q VOTA NUM MALA DESSE... POVO TEM QUE SE F.....

  • pacufrito | Sexta-Feira, 07 de Dezembro de 2018, 16h12
    0
    0

    Justiça eleitoral é uma brincadeira, este senho em questão, já e conhecido de todos, ele não esta nem ai para os orgãos de controle, muito menos para justiça eleitoral, alem do mais ele esta sendo investigado no supremo por desvio de dinheiro da saúde, a injustiça eleitoral, sim injustiça eleitoral, vai demorar tanto para julgar que o mandato de terá acabado quando for julgado. É UMA VERGONHA.

  • Marià | Sexta-Feira, 07 de Dezembro de 2018, 12h24
    8
    2

    Só congelar os votos dele. Depois que ele pagar tudo que ele deve ai descongela os votos..😱😁😁Se tem uma coisa que esse🤥Não gosta e de pagar .Só assim os fornecedores vão receber

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS