16 de Novembro de 2018,

Política

A | A

Quarta-Feira, 13 de Junho de 2018, 11h:24 | Atualizado:

BERERÉ-BÔNUS

TJ retoma julgamento sobre prisão de Savi


Gazeta Digital

tjpleno.jpg

 

O Pleno do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) retoma amanhã (14) pedido de sustação e revogação da prisão preventiva do deputado estadual Mauro Savi (DEM), preso acusado de participação no esquema de desvios de recursos operado no Departamento de Trânsito (Detran).

No dia 24 de maio, o julgamento foi parcialmente encerrado com 16 votos contrários a soltura do deputado e dois votos a favor.

O adiamento da conclusão ocorreu em razão do pedido de vista do processo feito pelo desembargador Marcos Machado.

Savi alega que não participou dos atos e que há incongruência nas afirmações no processo, segundo ele, baseado exclusivamente em depoimentos de colaboradores premiados.

O parlamentar diz ainda que as condutas ilícitas a ele atribuídas se encerraram em agosto de 2014, portanto, inexiste o requisito da contemporaneidade para justificar a manutenção da prisão.

O deputado foi preso em 9 de maio durante a Operação Bônus, 2ª fase da Operação Bereré, deflagrada pelo Grupo de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e pelo Núcleo de Ações de Competência Originária (Naco) Criminal.

O parlamentar foi acusado de intermediar o acordo que deu origem ao esquema de fraude, desvio e lavagem de dinheiro na ordem de R$ 30 milhões no Detran.

A prisão foi decretada pelo desembargador José Zuquim, que determinou ainda o cumprimento de 5 mandados de prisão preventiva e 5 de busca e apreensão em Cuiabá, São Paulo e Brasília.

Além de Mauro Savi, foram presos preventivamente o ex-chefe da Casa Civil, Paulo Taques, seu irmão, Pedro Zamar Taques, e os empresários Roque Anildo Reinheimer, Claudemir Pereira dos Santos, vulgo “Grilo” e José Kobori.

Recurso

Além de tentar sustar o efeito da prisão, Mauro Savi impetrou seguido habeas corpus no Tribunal de Justiça e no Superior Tribunal de Justiça, em Brasília. Todos foram negados.

 

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Gilmar | Quarta-Feira, 13 de Junho de 2018, 16h00
    0
    0

    Chega de parlamentarem metidos em falcatruas; chega de parlamentares acusados de roubar recursos públicos. O eleitorado de Mato Grosso tem que parar de ser cúmplice dessa corja que tomaram conta do poder. Já faz bastante tempo que a política mato-grossense deixou de ter o cidadão como foco principal. Esse vírus chamado corrupção está alastrado em todos os poderes e setores de Mato Grosso. O atual parlamento e que quase todos são candidatos à reeleição, estão todos lambuzados. É vergonhoso a cultura que foi criada e que nosso filhos serão vítimas em potencial dessa situação.

  • O atalaia | Quarta-Feira, 13 de Junho de 2018, 15h09
    0
    1

    Acreditamos que nenhum cidadão de bem quer a prisão de nenhum parlamentar, mas deseja ardentemente que apareçam candidatos honestos e que trabalhe em prol da sociedade. Chega de parlamentares voltados aos próprios interesses!.....

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS