09 de Agosto de 2020,

Cidades

A | A

Quinta-Feira, 25 de Janeiro de 2018, 15h:59 | Atualizado:

Alternativa à MT-251, Estrada da Integração não sai do papel


Diário de Cuiabá

Enquanto foi criado um grupo para dar celeridade ao estudo de licenciamento ambiental da duplicação total da MT-251, o projeto de construção de uma estrada alternativa ligando Cuiabá a Chapada dos Guimarães segue parado ou a passos lentos. Trata-se da MT-030, a chamada Rodovia da Integração, que teve a sua construção aprovada em lei há cerca de 10 anos. Mas, assim como as obras da MT-251, a estrada da “Integração” também foi anunciada pelo governo do Estado, em 2015, como parte do Programa Pró-Estradas. 

Conforme matéria intitulada “MT obtém R$ 223 mi do BNDES para obras rodoviárias”, publicada pela assessoria de imprensa da Secretaria de Estado Infraestrutura e Logística (Sinfra), em 16 de setembro de 2015, o governo obteve, à época, a liberação de R$ 223 milhões junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES/Banco do Brasil) para obras rodoviárias do programa Pró-Estradas. 

O montante liberado pelo BNDES era apenas parte dos recursos previstos para o Pró-Estradas, somente para o segmento “Construção”. Na ocasião, o Estado aguardava ainda a vinda de mais meio bilhão de reais do BNDES e a meta era finalizar mais de 1800 quilômetros de estradas em três anos. 

A Sinfra apontava também outras fontes de recursos à disposição para o Pró-Estradas/Construção, como valores da CIDE (Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico) que Mato Grosso voltou a receber. Como previsto, cerca de R$ 23 milhões estão sendo investidos na duplicação da 251. “A obra faz parte do Complexo Viário da Região Metropolitana, que irá contar com outras obras, como a do Rodoanel, da Estrada da Guia e de construção da MT-030, que garantirá um acesso mais ágil a cidade turística de Chapada”, traz o texto da assessoria da Sinfra. Procurada pela reportagem do DIÁRIO, a Sinfra não se posicionou sobre o assunto. 

O projeto de criação de uma rota alternativa à MT-251, promete encurtar em até 30 quilômetros a distância entre a capital e Chapada. O projeto de lei original foi apresentado pelo então deputado estadual Otaviano Pivetta e sancionado em outubro de 2008 pelo ex-governador e atual senador Blairo Maggi. 

Pela proposta, a rodovia tem início no final da Avenida Dante de Oliveira (antiga dos Trabalhadores), região dos Três Barras/Dr. Fábio, seguindo em linha reta até o quilometro 14 da MT-251, nas proximidades do Mirante, que fica após o centro urbano de Chapada em direção a Campo Verde. 

O traçado fica fora dos limites do Parque Nacional da Chapada dos Guimarães, o que não implicaria em impactos ambientais sobre a área de amortecimento da rodovia. O projeto da estrada compreende uma plataforma de 12 metros de largura com pista de rolamento e 2,5 metros de acostamento dos dois lados, onde serão feitas ciclovias. 

Além de alternativa à MT-251, a expectativa é que a nova estrada seja usada para o escoamento da safra e no recebimento de insumos procedentes da área de influência da BR-070, nos municípios de Campo Verde, Primavera do Leste, Paranatinga, Nova Brasilândia, Novo Santo Antônio, Chapada dos Guimarães entre outros. 



Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS