06 de Agosto de 2020,

Cidades

A | A

Terça-Feira, 23 de Janeiro de 2018, 13h:41 | Atualizado:

DUPLICAÇÃO

Audiência discute licença para obra na MT-251

MT-251.jpg

 

O Governo de Mato Grosso realizará na quinta-feira (25.01), em Cuiabá, audiência pública para discutir o Estudo de Impacto Ambiental e Relatório de Impacto Ambiental (EIA/Rima) para duplicação de mais um trecho da Rodovia Emanuel Pinheiro (MT-251), entre Cuiabá e Chapada dos Guimarães. O evento está marcado para às 19h, no auditório do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Mato Grosso (Crea-MT).

Para audiência pública, estarão presentes representantes do corpo técnico das Secretarias de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra), Meio Ambiente (Sema), Adjunta de Turismo (Sedec), Prefeituras de Chapada dos Guimarães e Cuiabá, Agência Metropolitana do Vale do Rio Cuiabá (Agem), empresários e membros da sociedade civil organizada.

"Vamos apresentar para sociedade o EIA/Rima para duplicação da MT-251, do trevo de acesso ao Manso até Chapada dos Guimarães. Serão feitas várias intervenções turísticas valorizando a Estrada Parque e respeitando os aspectos sociais e ambientais, além de reduzir o número de acidentes”, disse o secretário da Sinfra, Marcelo Duarte.

Desenvolvido pela Ecoplan por meio da Sinfra, o projeto aborda vários itens importantes e apresenta três soluções técnicas para transposição do trecho entre o Balneário da Salgadeira e o Córrego da Mata Fria, passando pelo Portão do Inferno.

Nesta fase, o grupo tem discutido condicionantes técnicas que envolvem desde ações para melhorar o escoamento das águas da chuva, bem como a construção de pontos de observação turística ao longo da estrada e a criação de corredores para travessias de animais silvestres, evitando atropelamentos.

Próxima audiência

Além de Cuiabá, na sexta-feira (26.01), às 19 horas, na Câmara Municipal de Chapada dos Guimarães, acontecerá outra audiência pública para apresentar o projeto aos moradores do município.

Após as deliberações da sociedade nas audiências públicas, a Sema dará continuidade às análises e emissão do parecer assistido pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). O objetivo é duplicar 44 km da rodovia, entre o trevo de acesso ao lago do Manso até a entrada da Chapada dos Guimarães, passando por dentro do Parque Nacional.

A sociedade terá a oportunidade de conhecer o projeto, opinar e dar sugestões durante as consultas públicas. Para o secretário de Estado de Meio Ambiente, André Baby, o projeto apresenta os critérios necessários para ser apresentado para a população. “O projeto está no caminho do desenvolvimento sustentável e respeita todos os aspectos sociais e ambientais para trazer benefícios para a região”, ressalta.

Para o secretário adjunto de turismo, Luis Carlos Nigro, a obra irá dinamizar o comércio local e fomentar o turismo da região. “As intervenções turísticas ao longo da rodovia irão consolidar a Estrada Parque de Chapada dos Guimarães como importante corredor turístico”.

Obras na MT-251

O Governo do Estado tem diversas ações realizadas ao longo da rodovia Emanuel Pinheiro desde o início desta gestão em 2015. A Sinfra entregou os 10 primeiros quilômetros da reconstrução da 'Estrada da Chapada'. Do trevo de acesso ao Lago do Manso ao Balneário Mutuca, a rodovia ganhou sinalização, asfalto novo com sete centímetros de espessura e pista com nove metros de largura, incluindo a faixa de segurança.

A Sinfra também executa a obra de duplicação de 3,6 km da Estrada da Chapada (MT-251), do entroncamento com a MT-010 (Atacadão) ao trevo de acesso ao bairro Jardim Vitória (Fundação Bradesco). Serão duas pistas com três faixas de rolamento com 3,5 metros de largura, ciclovia localizada no canteiro central, e cinco metros de calçada em cada lado da via. E no entroncamento entre as duas rodovias será construída uma trincheira de mais de 300 metros, para desafogar o trânsito na saída de Cuiabá e entrada do Centro Político Administrativo (CPA).

 

 



Postar um novo comentário

Comentários (4)

  • Fagundes | Quarta-Feira, 24 de Janeiro de 2018, 08h28
    0
    0

    O que é lamentável nesses projetos é que as calçadas estão sento loteadas por comerciantes e autônomos locais. A obra como um todo, ainda sequer foi entregue e já temos donos das calçadas, montam barracas e estacional carros e até ferro velho, além do fato dela não ser a metragem original de 5m em toda sua extensão.

  • Eduardo | Terça-Feira, 23 de Janeiro de 2018, 18h12
    7
    3

    Deve ter uns 15 anos este projeto, não sei o que falta pra fazerem..

  • CUIABANO | Terça-Feira, 23 de Janeiro de 2018, 15h07
    9
    1

    Quantas vidas mais terão que ser ceifadas em detrimento de meia dúzia de árvores??? DUPLICAÇÃO JÁ!!!

  • benedito costa | Terça-Feira, 23 de Janeiro de 2018, 14h12
    5
    0

    onde localiza a associação dos procuradores do MPE, não tem os 5,00 metros de calçada. O que será feito ali?

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS