27 de Maio de 2020,

Cidades

A | A

Sábado, 15 de Fevereiro de 2020, 07h:30 | Atualizado:

Câmara aprova lei que obriga Águas Cuiabá a recuperar asfalto danificado em vias públicas

O vereador Dilemário Alencar (Pros) comemorou nesta quinta-feira (13) a aprovação da lei municipal de sua autoria que obriga empresas como a Águas Cuiabá, recuperar no prazo de até cinco dias uteis os danos causados em vias pavimentadas e calçadas quando da realização de serviços de manutenção, implantação, extensão ou ampliação de redes de água e saneamento.

A obrigação de recuperar os danos causados em logradouros públicos e calçadas se estende também a toda pessoa jurídica, como a Energia e empresas da construção civil. A lei também obriga a pessoa física que causar dano, providenciar o reparo do dano ao bem público em até 15 dias uteis. No caso do não cumprimento dos prazos previstos na lei, o causador do dano terá que indenizar todo o prejuízo causado a terceiros.

“Era necessária à existência dessa lei em Cuiabá, pois a população tem reclamado muito da demora da Águas Cuiabá em recuperar os buracos e valas que abre em ruas pavimentadas da nossa cidade. Tem também muitos casos que a Águas Cuiabá ao fazer o corte de água quebra a calçada do cidadão, mas não repara o dano causado. A mesma coisa ocorre com a Energisa, que ao colocar postes de energia, quebra calçadas mas não repara o dano”, explicou o vereador Dilemário.

“Quero agradecer a todos os vereadores, pois de forma unânime derrubamos o veto feito pelo chefe do executivo a essa importante lei. Com a derrubada do veto, a lei será promulgada pelo presidente da Câmara. Com isso, teremos um instrumento para acabar com o descaso da Águas Cuiabá, que abre buracos em ruas asfaltadas e não recupera a via em tempo razoável, mesmo com obrigação prevista no contrato de concessão. Agora, com essa lei, ela será de fato obrigada a reparar o dano. Caso não faça, qualquer cidadão pode promover uma ação de obrigação de fazer contra a concessionária ou outras empresas como a Energisa”, disse o vereador Dilemário.

 

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS