13 de Agosto de 2020,

Artigos

Cidades

A | A

Quinta-Feira, 08 de Maio de 2014, 15h:20 | Atualizado:

Comarca de Várzea Grande será premiada pelo CNJ

A Comarca de Várzea Grande receberá o Selo de Bronze do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) em reconhecimento à terceira colocação em nível nacional, resultado alcançado na Semana Nacional do Júri, ocorrida entre 17 e 21 de março. Na oportunidade a comarca realizou 66 dos 68 júris agendados para julgar crimes contra a vida praticados até o ano de 2009. “Parabenizamos o diretor do foro, magistrados, servidores, MP, Defensoria e a Universidade de Várzea Grande (Univag). Os esforços ajudam a combater a impunidade. Estes são os crimes que mais causam comoção e não podem ficar sem uma resposta da Justiça por muito tempo. Quando a Justiça age rápido inibe a própria violência. Vamos continuar trabalhando desta forma. A atual administração do Poder Judiciário de Mato Grosso continua colaborando para a boa prestação jurisdicional e consequente melhora no ranking nacional da Justiça de Mato Grosso”, disse o juiz auxiliar da Corregedoria, Jorge Luiz Tadeu Rodrigues, que ainda elogiou o CNJ. “Ações como esta valorizam quem se empenha no cumprimento dos deveres”, concluiu.

“Ficamos felizes em observar o resultado do esforço coletivo. Contamos com muita colaboração interna e dos parceiros. Planejamos bem esta ação, o resultado é consequência do emprego de ferramentas que envolvem gestão e parcerias. O reconhecimento é muito bom e nos incentiva a continuar buscando alternativas para enfrentarmos o grande volume de processos que cresce a cada dia”, enfatizou o juiz da Primeira Vara Criminal e diretor do Foro de Várzea Grande, Otávio Vinicius Affi Peixoto. Ele ainda informou que durante a ação casos dos anos de 2010, 2011 e 2012 também foram julgados e que hoje novos júris estão sendo realizados. Ao todo 12 casos de réus presos.

Os júris foram realizados em parceria desenvolvida por sete magistrados, servidores, advogados, defensores e promotores de justiça, além da Univag e da Corregedoria-Geral da Justiça de Mato Grosso (CGJ-MT). A comarca foi escolhida pela CGJ por se enquadrar nos critérios de exigência do CNJ.

Além do juiz diretor participaram ativamente da ação os magistrados da mesma comarca, designados pela CGJ-MT. Os juízes Alexandre Elias Filho (Terceira Vara Especializada da Fazenda Pública), Ester Belém Nunes (Primeira Vara Cível), Jones Gattass Dias (Segunda Vara Especializada da Fazenda Pública), Luiz Otávio Pereira Marques (Terceira Vara Cível), Marcos José Martins Siqueira (Segunda Vara Cível), e Moacir Rogério Tortato (Primeira Vara Criminal).

Outras 241 unidades judiciárias de todo o país também receberão o reconhecimento do CNJ. Ao todo 2.442 julgamentos foram realizados durante o evento, 70,17% dos julgamentos agendados, 1.523 julgamentos terminaram em condenações outros 751 em absolvições. Mato Grosso ficou atrás de Pernambuco e Goiás, empatado com a Justiça do Ceará. “A atribuição do Selo Bronze é simbólica quanto à importância da atuação coordenada entre CNJ e as unidades judiciárias”, afirmou o conselheiro Guilherme Calmon, que representa o CNJ no Comitê Gestor da Estratégia Nacional de Justiça e Segurança Pública (Enasp), responsável pela mobilização. Criada em 2010, a Enasp é uma parceria do CNJ com o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) e o Ministério da Justiça para integrar os órgãos responsáveis pela segurança pública no combate à violência.



Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS