25 de Maio de 2020,

Cidades

A | A

Sábado, 23 de Maio de 2020, 06h:34 | Atualizado:

Defensoria Pública e Todimo entregam 18 toneladas de alimentos à famílias carentes neste sábado

Uma parceria inédita entre a Defensoria Pública de Mato Grosso e a empresa Todimo Materiais de Construção suprirá a necessidade pontual de sustento de 1.210 famílias carentes, de 12 municípios mato-grossenses, neste sábado (23/5). Catadores de resíduos sólidos, mulheres vítimas de violência, grupos de apoio a travestis e transsexuais, entidades religiosas e pessoas necessitadas receberão mais de 18 toneladas de alimentos por meio de cestas básicas.

A iniciativa nasceu a partir de um desejo comum, entre a empresa e o órgão, de ajudar pessoas que, mesmo antes das restrições impostas pela pandemia do coronavírus, já viviam em dificuldades alimentares, explica o defensor público-geral, Clodoaldo Queiroz. Um projeto piloto foi posto em prática no final de semana passado, em Cáceres, e a partir da experiência, os parceiros perceberam que a iniciativa era segura e necessária.

Mãos à Obra - A Todimo comprou as cestas, a Defensoria Pública fez a seleção das famílias e ambos organizaram uma estrutura para fazer as entregas, respeitando as regras sanitárias, nos municípios de Cuiabá, Várzea Grande, Rondonópolis, Sinop, Tangará da Serra, Cáceres, Sorriso, Lucas do Rio Verde, Primavera do Leste, Barra do Garças, Pontes e Lacerda e Nova Mutum. Todas cidades onde a empresa tem uma filial instalada.

“As pessoas estão sendo afetadas de modo geral pelo coronavírus e pelos efeitos do isolamento social. Mas aquela parte da sociedade que, em situação de normalidade, já é a mais vulnerável, torna-se a maior vítima também neste momento. Por isso, não basta à Defensoria atuar apenas cuidando da defesa judicial da população carente do estado. A Todimo teve a iniciativa, nos procurou e agradecemos pela confiança e reconhecimento do nosso trabalho, o que possibilitará a ajuda para milhares de pessoas”, afirma o defensor público-geral.

A maior parte das cestas será distribuída em Cuiabá, 330. Dessas, 185 irão para a Cooperativa de Catadores de Resíduos Sólidos, a partir das 14h, com auxílio de defensores públicos, servidores e da representantes da empresa. O presidente da Associação dos Catadores, Tiago Silva Duarte, explica que toda ajuda é sempre bem-vinda.

“Ficamos muito agradecidos a todos que estão nos ajudando. Receber a notícia de que as famílias daqui teriam essas cestas nos deixou muito gratos, pois elas vão suprir nossas necessidades. Os catadores conseguem uma renda média mensal de R$ 500. Quem trabalha recebe marmita da prefeitura, mas as nossas famílias permanecem em casa e essa comida irá nos ajudar muito, a alimentação já está muito mais cara e o nosso serviço, mais barato”, afirma.

Em Cuiabá os alimentos ainda serão distribuídos para mulheres vítimas de violência pelo Núcleo da Defesa da Mulher (Nudem), no período da manhã, para a Paróquia Divino Espírito Santo, à tarde, e para famílias atendidas pelo Núcleo Cível. “Vou trabalhar nessa ação e, Nossa Senhora, o que posso dizer, será com muito amor, pois ela enche o coração e a barriga de quem recebe e mais ainda de quem doa”, afirma a defensora pública Kelly Christina Otácio. 

A secretária executiva da DPMT, Luziane Castro, afirma que a dinâmica de distribuição seguirá a mesma lógica nas cidades do interior, onde cada coordenador de núcleo selecionou as famílias mais carentes e organizou a forma de entrega. Algumas receberão em casa, outras, em pontos fixos, com hora marcada para a retirada. “A satisfação de poder contribuir nesse momento tão difícil com a subsistência de mais de 1.000 famílias é tão gratificante que exclui qualquer dificuldade, porventura encontrada”, avalia. 

A cesta é composta por alimentos básicos tais como arroz, feijão, leite, óleo, açúcar, farinha de trigo, bolachas, macarrão, café, farinha de milho, molho de tomate e outros itens tidos como essenciais. “A Todimo financiou as cestas e nós estamos levando este lenitivo àquelas pessoas que estão em maior grau de vulnerabilidade neste momento, muitas delas que sequer o auxílio estatal conseguiram receber”, avalia o defensor público-geral.

Todimo - Os diretores da Todimo afirmam que atuam há 37 anos em Mato Grosso e gostariam de ajudar aqueles que residem nas cidades onde eles prosperaram e que passam por necessidades em decorrência das restrições impostas pela pandemia. 

“Procuramos a parceria da Defensoria Pública por acreditar na Instituição, na integridade do trabalho do órgão e por saber que ele tem contato com as pessoas que realmente precisam. Voltamos a lembrar e pedir que outras empresas que tiverem disponibilidade, juntem-se a nós na iniciativa, procurem o órgão e indiquem como podem ajudar”, disse um dos diretores da empresa, Sérgio Bandeira.

 

 

 

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS