19 de Outubro de 2019,

Cidades

A | A

Terça-Feira, 16 de Setembro de 2014, 16h:01 | Atualizado:

FINAL DE GESTÃO

Estado não paga há um ano e 300 deficientes ficam sem transporte

Valor da dívida chega a cerca de R$ 1 milhão

van-paradas-lafeta.jpg

 


 

A empresa que faz o transporte de pessoas com deficiência em tratamento em unidades pública Mato Grosso decidiu suspender os serviços até que seja regularizado o pagamento. De acordo com a empresa que opera o sistema, o Estado não efetua o pagamento há mais de um ano.

As dívidas já somam R$ 1 milhão. A empresa reclama que está cobrando o secretário Jorge Lafetá e o adjunto, Marcos Rogério Lima Pinto e Silva, a regularização do débito milionário que expõe a situação de calamidade das finanças do Estado que tem arrecadação anual de cerca de R$ 16 bilhões.

Ele alega que as promessas de pagamento nunca se concretizaram. “Sempre ouvimos as promessas e ficávamos no aguardo. Mas agora chegamos ao limite”, disse um dos prestadores de serviço.

O transporte de pessoas com deficiência beneficia 300 pessoas em todo Estado. Os veículos são usados para os deficientes para se locomoverem durante as sessões de fisioterapia e outros tratamentos.

 

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Rafael S. Magalhães | Terça-Feira, 16 de Setembro de 2014, 16h48
    0
    0

    Gostaria de saber do Ludio , como o padrinho politico dele tem a coragem de fazer isso? Larga mão de ser demagogo em debate e trate de explicar sua adoração por Silval, Eder e cia......

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS