Cidades Sexta-Feira, 21 de Junho de 2024, 17h:25 | Atualizado:

Sexta-Feira, 21 de Junho de 2024, 17h:25 | Atualizado:

ÁLCOOL E VOLANTE

Flagrado em bafômetro, ex-secretário faz acordo em Cuiabá

Oscarlino Alves pediu exoneração do staff de Emanuel Pinheiro em março deste ano

Da Redação

Compartilhar

WhatsApp Facebook google plus

oscalino alves .jpg

 

O ex-secretário de Turismo de Cuiabá e também ex-adjunto de Vigilância em Saúde, Oscarlino Alves, firmou um acordo com o Ministério Público do Estado (MP-MT) para não responder pelo crime de dirigir sob efeito de bebida alcoólica. Pelo acordo celebrado nesta quinta-feira (20), ele que é servor público do Estado e também sindicalista, pagará R$ 3,5 mil com possibilidade de parcelamento em até 10 vezes.

Em outubro de 2023, quando ainda o ocupava o cargo de secretário-adjunto de Atenção Especializada em Vigilância em Saúde de Cuiabá, Oscarlino foi detido pela Polícia Militar após ser flagrado pelo bafômetro durante uma blitz da Lei Seca na Avenida Miguel Sutil, na Capital. Ele pediu exoneração do cargo em março deste ano

Segundo o documento, que deverá ser homologado em audiência agendada para 16 de agosto agosto deste ano, Oscarlino deverá pagar a quantia estipulada na proposta de acordo para que o Ministério Público não ofereça denúncia criminal contra ele. 

 "Se compromete a efetuar o pagamento de prestação pecuniária a entidade pública ou de interesse social, a ser indicada pelo juízo da execução, que, preferencialmente, tenha como função proteger bens jurídicos iguais ou semelhantes aos aparentemente lesados pelo delito, no valor de R$ 3.530,00 (três mil quinhentos e trinta reais), divididos em até 10 (dez) vezes iguais e sucessivas", diz trecho do acordo. 

A homologação do acordo será feita no Núcleo de Inquéritos Policiais (Nipo). 





Postar um novo comentário





Comentários (11)

  • Waldir Aparecido Taques

    Domingo, 23 de Junho de 2024, 15h53
  • Não tomou nada
    2
    0



  • Vitor

    Domingo, 23 de Junho de 2024, 05h02
  • Deixa eu entender uma coisa, o cidadão comum é pego na blitz da lei seca, constata que o mesmo consumiu álcool, o mesmo vai preso e só sai se pagar a fiança à vista, esse cidadão pôde parcelar porquê?
    3
    0



  • Jorge da Biblioteca

    Domingo, 23 de Junho de 2024, 03h26
  • Faz o L agora! O Brasil está quebrando!
    2
    5



  • Liliana Rodrigues

    Sábado, 22 de Junho de 2024, 21h14
  • Oscarlino e uma Exemplo e Exelente pessoas ... gostaria de entender o MP ??
    0
    4



  • Boanerges

    Sábado, 22 de Junho de 2024, 13h25
  • Secretário de Turismo?? A pergunta é: pra que Secretaria de Turismo em Cuiabá? Grande Cabide de Empregos..
    11
    1



  • Gustavo

    Sábado, 22 de Junho de 2024, 10h26
  • A carteira deveria perder. Muita barata. Carro apreendido. Responder um PAD onde trabalha.
    12
    1



  • Rosi

    Sábado, 22 de Junho de 2024, 09h58
  • E normal o acordo de não persecução penal , o MP faz com todos, nada demais.
    14
    3



  • Denis

    Sábado, 22 de Junho de 2024, 07h30
  • Mto bom,parabéns ao MP, só ñ vai beber e dirigir denovo
    3
    7



  • Raul

    Sábado, 22 de Junho de 2024, 05h44
  • E o presidente do Detran?? Alguém sabe se ele fez acordo??? O que aconteceu, a multa foi mantida, ele realmente foi multado...foi processado pelo MP... Fico só olhando quando é com o governo do estado, o pessoal some com a notícia....
    12
    0



  • FAZ O L !!!!!!!!

    Sexta-Feira, 21 de Junho de 2024, 22h00
  • O povo não pode mais confiar nem mesmo no MP, sacanagem porra!!!!
    13
    11



  • Fudencio

    Sexta-Feira, 21 de Junho de 2024, 17h38
  • Esse cara merecia ser empalado pela Rotam, pra aprender a não dirigir sob efeito de taladafila e álcool.
    18
    12









Copyright © 2018 Folhamax - Mais que Notícias, Fatos - Telefone: (65) 3028-6068 - Todos os direitos reservados.
Logo Trinix Internet