29 de Janeiro de 2020,

Cidades

A | A

Quinta-Feira, 16 de Janeiro de 2020, 12h:06 | Atualizado:

REFORMA

Obra garantirá conforto no Fórum de Cuiabá

Local será totalmente climatizado

forumcuiaba.jpg

 

O primeiro mês de 2020 começa com novidade no Fórum de Cuiabá. O edifico Desembargador José Vidal, inaugurado em 2005, vai receber novo visual com as obras da reforma, que devem ser concluídas em oito meses. A melhoria vai garantir um ambiente com mais qualidade para o público interno (servidores, magistrados, terceirizados, estagiários e fornecedores) e para os jurisdicionados, operadores do Direito, promotores de Justiça e defensores públicos. Diariamente, cerca de 3.500 pessoas circulam na maior unidade judiciária do Estado.

Além da revitalização da fachada, a reforma vai possibilitar a climatização central do prédio, regularização do sistema de proteção contra descarga atmosférica – para-raios (SPDA) e, entre outras intervenções, a adequação às normas de acessibilidade, como nivelamento de piso e construção de rampas. De acordo com o coordenador de Infraestrutura do Tribunal de Justiça, Roberto Ciryaco da Silva, a obra vai fazer a diferença, especialmente, para quem trabalha e para quem frequenta a unidade constantemente.

De acordo com o presidente do TJMT, desembargador Carlos Alberto Alves da Rocha, a climatização do Fórum é uma necessidade considerada primária e há muito tempo vem sendo solicitada pela comunidade jurídica. Segundo ele, com o passar dos anos e o aumento da população que frequenta o local, percebeu-se a necessidade de tornar o espaço com temperatura mais amena para proporcionar mais conforto, especialmente, para quem aguarda pelos serviços do Judiciário.

Atualmente, apenas as salas são refrigeradas e quem aguardam nos corredores por audiência, ou por outro atendimento, enfrenta temperatura ambiente alta, que às vezes atinge 40 graus. Quando foi planejado, o conceito da obra era tornar o prédio o mais sustentável possível e, por isso, não foi totalmente refrigerado.

Por conta da reforma, a equipe de engenharia e infraestrutura do Judiciário precisou reduzir o número de vagas no estacionamento externo central, que é destinado a visitantes. Com isso, durante o período da obra, mesmo com a diminuição de vagas, idosos, gestantes e pessoas portadoras de deficiências (PcD) têm espaços reservados.

 

 

Postar um novo comentário

Comentários (4)

  • Carlinhos do Nilo Povoas | Sexta-Feira, 17 de Janeiro de 2020, 01h41
    3
    0

    Esse povo desse tal de judiciário vivem como Reis né? Impressionante.

  • alexandre | Quinta-Feira, 16 de Janeiro de 2020, 20h21
    2
    2

    Obra faraônica..

  • Raimundo | Quinta-Feira, 16 de Janeiro de 2020, 19h06
    2
    3

    Nadando em dinheiro, enquanto isso, o que mais importa a população que são os processos, esses são esquecidos, tenho processo há mais de seis anos sem sentença.

  • João Simão | Quinta-Feira, 16 de Janeiro de 2020, 12h26
    8
    3

    Rapá, essa obra é uma vergonha. Governo sentando a ripa no povo com o aumento de impostos e os Poderes a queimarem dinheiro com obras absolutamente desnecessárias para a melhoria da prestação jurisdicional. O contribuinte já não suporta mais a carga tributária para fins de manter os desmandos administrativos. Chegaaaaa

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS