20 de Junho de 2019,

Cidades

A | A

Quarta-Feira, 12 de Junho de 2019, 16h:48 | Atualizado:

Reeducandos de MT se classificam para 2ª fase da Olimpíada Brasileira de Matemática

Noventa e três reeducandos de quatro unidades prisionais de Mato Grosso se classificaram para a segunda fase da 15ª Olimpíada Brasileira de Matemática (OBMEP). Participaram das provas da primeira fase 850 reeducandos que estudam pela Escola Estadual Nova Chance em unidades de Cuiabá, Rondonópolis e Várzea Grande - Penitenciária Central do Estado, Penitenciária Major Eldo Sá Corrêa e Centros de Ressocialização da capital e de Várzea Grande.

Também fizeram as provas 49 adolescentes que estão cumprindo medidas socioeducativas em unidades de Cuiabá e Cáceres.

Entre os reeducandos, foram aprovados para a próxima fase da olimpíada 63 que estão cursando do 6º ao 9ª ano do ensino fundamental e mais 30 do ensino médio.

Fabiana Magalhães, coordenadora do Núcleo de Educação nas Prisões, da Secretaria de Segurança Pública, destaca que a Obmep dá oportunidade aos estudantes, sejam eles privados de liberdade ou não, de praticar o conhecimento aprendido. “No caso dos reeducandos, também os prepara para exames posteriores, como o Enem e Encceja, que são realizados dentro das salas de aula nas unidades prisionais".

Há salas de aula em atividade em 49 unidades prisionais, que representam para muitos reeducandos a porta de entrada para uma nova oportunidade e a chance de seguir um rumo diferente na vida. As 102 salas de aulas são extensões da Escola estadual Nova Chance, responsável pelo ensino nas unidades prisionais, que tem 2.556 reeducandos matriculados na educação básica. A Penitenciária Central do Estado, em Cuiabá, e a Penitenciária Regional de Rondonópolis, abrigam o maior percentual de estudantes.

Orientador pedagógico da Escola Nova Chance, Cidney José de Campos, explica que o planejamento anual da escola, atualmente sob gestão da diretora Conceição Aparecida Bastos, inclui atividades que levem o aluno a refletir sobre sua retomada de consciência. “E essa retomada passa pela importância da escolarização do indivíduo, por isso trabalhamos com foco nos exames externos, pois entendemos que é gratificante para os alunos e educadores verem os resultados satisfatórios. Isso mostra que estamos no caminho certo”, afirma o orientador.

Cidney pontua também as atividades pedagógicas desenvolvidas na Penitenciária Central, em especial o trabalho focado nos exames externos. “Teve bons resultados no Enem de 2018 e agora na Olimpíada de Matemática, em que das 850 provas realizadas e dentro do número de corte proposto pela Obmep, a unidade tirou mais de 50% das médias propostas para nossa escola”, explica o orientador.

Obmep

As provas da segunda fase da Olimpíada de Matemática serão aplicadas no dia 28 de setembro. Os reeducandos e adolescentes realizam as provas nas salas de aula das unidades. O resultado nacional da Obmep será divulgado em 03 dezembro, com premiação dos finalistas.

A Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas é um projeto nacional dirigido às escolas públicas e privadas brasileiras, realizado pelo Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada, com o apoio da Sociedade Brasileira de Matemática, e promovida com recursos do Ministério da Educação e do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações.

Aulas na Penitenciária de Rondonópolis

Criada em 2005 para estimular o estudo da matemática e identificar talentos na área, a Obmep tem entre os objetivos estimular e promover o estudo da Matemática, contribuir para a melhoria da qualidade da educação básica e incentivar o aperfeiçoamento dos professores das escolas públicas, contribuindo para a sua valorização profissional.

O público-alvo da olimpíada é composto de alunos do 6º ano do Ensino Fundamental até último ano do Ensino Médio. Em 2018, mais de 18 milhões de alunos participaram da olimpíada.

 

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS