06 de Julho de 2020,

Cidades

A | A

Sábado, 30 de Maio de 2020, 15h:10 | Atualizado:

Sindicato cobra testagem de profissionais da Saúde


Gazeta Digital

O Sindicato dos Servidores Públicos Estaduais de Saúde do Estado de Mato Grosso (Sisma) cobrou esclarecimentos da Secretaria de Estado de Saúde (SES) acerca das condições de trabalho ofertadas aos profissionais da saúde no que tange à pandemia do novo coronavírus.  O sindicato pede que a secretaria faça melhor divulgação e em linguagem simples sobre o fluxo de testagem dos profissionais, além de uma série de outras exigências.

O Sisma aponta que mesmo com liminar favorável na Justiça do Trabalho, tem enfrentado muita dificuldade na liberação do grupo de risco, chegando ao ponto dos profissionais terem seus processos de afastamento indeferido, enquanto que no início da pandemia foram deferidos. Cita, ainda, uma demora na resposta por parte do médico do trabalho, obrigando servidores na dúvida se arriscarem no corte de ponto ou de retornarem ao local de trabalho.

Outra reivindicação é quanto aos equipamentos de proteção individual, que ainda são de baixa qualidade, a exemplo de máscaras de proteção facial caseiras (fora da especificação) que ainda estão sendo distribuídas nos hospitais regionais. Além disso, o Sisma avalia que a carga horária diária em dois turnos de 6 horas, totalizando 12 horas diárias nas áreas administrativas se demonstrou pesada, ineficaz e perigosa, pois neste momento da pandemia estão surgindo vários focos de contaminação nestas unidades.

O sindicato recebeu informação que no prédio onde funciona o nível central da SES, localizado no Centro Político Administrativo, em Cuiabá, já apresenta alguns casos positivos para covid-19, e mesmo assim está em plena reforma, com vários operários trafegando no interior do recinto. "E para completar algumas salas ainda acumulam trabalhadores no mesmo horário", acrescenta.

A entidade diz que a SES foi questionada no dia 14 deste mês sobre o fluxo que está sendo utilizado na questão dos casos de profissionais que apresentem sintomas da covid-19, seus respectivos afastamentos e testagem. Como resposta, duas semanas depois, recebeu a informação que o Estado está seguindo os protocolos de covid-19 apenas nos casos dos profissionais que apresentam sintomas para a doença, com previsão de isolamento por 14 dias e testagem nestes casos, onde os demais colegas do setor passam a serem monitorados, mas permanecendo em atividade normal.

 

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS