28 de Fevereiro de 2020,

Cultura

A | A

Terça-Feira, 11 de Fevereiro de 2020, 21h:06 | Atualizado:

Mochileiro mato-grossense chega ao Alasca depois de percurso de bicicleta e de carona

O mato-grossense Gabriel Dias da Silva conseguiu cumprir o objetivo de chegar ao Alasca. Ele chegou ao último país da América do Norte no sábado (8), após percorrer mais de 80 mil km em quase dois anos e meio e passar por 22 países.

O mochileiro, conhecido como 'Gabriel Viajou' nas redes sociais, começou a viajar em 24 de agosto de 2017 após sair de casa, em Brasnorte, a 580 km de Cuiabá. Gabriel contou ao G1 que chegou ao Alasca no sábado e ficou isolado por dois dias, pois não passou nenhum motorista na estrada. Ele disse que andou cerca de 50 km a pé até encontrar alguém.

Ele sempre teve vontade de viajar. O Alasca não era o destino principal, mas era o lugar mais longe que poderia ir em terra sentido a América do Norte.

Quando viajava de bicicleta, ele percorreu alguns países na América do Sul até a Venezuela e depois retornou ao Brasil por causa de problemas pessoais e recomeçou com caronas.

Foram em torno de 6 mil km de bicicleta e mais de 500 caronas ao longo da viagem. Para pagar despesas com alimentação e hospedagem, ele fazia trabalhos voluntários e também ganhava comida de moradores dos locais onde passava.

Na época em que decidiu se afastar da empresa da qual era proprietário vendeu alguns pertences e, com R$ 3 mil e uma mochila contendo alguns alimentos e roupas, pegou a primeira carona na MT-170. Gabriel era dono de uma empresa de produtos de informática. Também teve uma corretora de imóveis e uma distribuidora de cereais. Ele ainda contou que na fronteira com o Alasca ele teve que mentir que ainda era empresário para poder entrar no país.

A empresa dele está inativa desde quando começou o mochilão de viagem pelas Américas.

 

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS