23 de Maio de 2019,

Cultura

A | A

Quinta-Feira, 16 de Maio de 2019, 11h:55 | Atualizado:

INTERLIGAÇÃO DA ARTE

MT Escola de Teatro tem atividades com artistas docentes de SP

cine teatro

 

Artistas docentes da SP Escola de Teatro, instituição ligada à Secretaria de Cultura e Economia Criativa de São Paulo e gerida pela Associação dos Artistas Amigos da Praça, participam de aulas para alunos dos cursos da MT Escola de Teatro. As atividades acontecem neste sábado (18) e domingo (19). Abaixo, saiba quem são os convidados:

ALESSANDRO TOLLER

Formado em Comunicação Social com bacharelado em Rádio/TV. Fez parte do Núcleo de Dramaturgia da Escola Livre de Teatro (ETL), de Santo André, coordenado por Luís Alberto de Abreu, de 2000 a 2004. Cursou dramaturgia com Marici Salomão, Mário Viana, Adélia Nicolete, Marco Antonio de La Parra, David Ian Neville (BBC Scotland) e no Royal Court Theatre. Escreveu os textos “Gotas ao Dia”, “Fronteiras”, “Západ – A Tragédia do Poder”, “Tauromaquia”, entre outros. Ministrou aulas na Funarte, na ETL e no Projeto Ademar Guerra. Trabalha, desde 2004, na Universidade São Judas, em adaptações para teatro de obras da literatura brasileira.

CHRISTIAN LANDI

Graduado pela Unirio, é ator e preparador de elenco. Trabalhou como preparador de elenco juvenil nos espetáculos “Todo mundo é mundo”, direção de Gilberto Gawronski (indicado na categoria especial do prêmio Shell em 2009), “A Odisseia”, direção de Thierry Tremouroux (2007), “Urbanofagia – o jovem e a cidade”, supervisão geral de Cininha de Paula (2015), entre outros. Atualmente reside em São Paulo, fazendo parte da equipe da SP Escola de Teatro, ganhadora do prêmio Shell de teatro em 2017, na categoria inovação, pelo trabalho de excelência no ensino teatral. É membro fundador do coletivo teatral carioca Imprecisa Companhia, onde atuou nos espetáculos “Tudo é Permitido” (2005) e “Não existem níveis seguros para o consumo destas substâncias” (2006), ambas de autoria da renomada dramaturga Daniela Pereira de Carvalho e direção de Tato Consorti , além de “Rock’n’Roll”, de Tom Stoppard e direção de Felipe Vidal e Tato Consorti (2008) e “Realismo”, de Anthony Neison, novamente com Consorti na direção (2014). Estreou em 2017 o espetáculo “Tubarões”, no SESC Copacabana, onde além de ator e idealizador, foi um dos dramaturgos, ao lado do diretor Michel Blois e elenco. Na televisão, participou do “Sítio do pica pau amarelo”, com direção de Cininha de Paula, além de participações nas novelas “Amor à vida”, “Império”, “Caminho das Índias” e da série “Cinquentinha”, todas pela Rede Globo de Televisão.

LUCIANO GENTILE

Mestrando em teatro pela Escola de Comunicação e Arte – ECA/USP, bacharel em Artes Cênicas, formado pelo Instituto de Artes da UNICAMP. Além da formação acadêmica, realizou cursos de aperfeiçoamento sobre técnicas específicas para o trabalho do ator, sobre produção teatral e sobre música para a cena. Já atuou como encenador no Programa Fábricas de Cultura da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo. Atuou também no Projeto Letras de Luz da Fundação Victor Civita/Abril Cultural como capacitador teatral; e em oficinas culturais, tanto desenvolvidas pela iniciativa pública quanto privada. Recentemente faz parte da Residência Artística Amarelinho, no bairro paulistano da Luz, como encenador do grupo Zona de Operação. Atualmente trabalha como coordenador artístico-pedagógico de equipe do Programa Vocacional, da Secretaria Municipal de Cultura da Cidade de São Paulo.

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS