18 de Julho de 2019,

Cultura

A | A

Quarta-Feira, 15 de Maio de 2019, 13h:10 | Atualizado:

TRADIÇÃO

Redes de Várzea Grande são expostas nos EUA


G1-MT

redesvg2.jpeg

 

Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá, que completa 152 anos, nesta quarta-feira (15), tem um dos principais itens do artesanato local expostos na cidade de Hanna Kucker, nos Estados Unidos. A artesã, que morou no município para acompanhar o marido, aprendeu a arte em um centro cultural e voltou para o país de origem, levando a tradição das redeiras de Limpo Grande.

De acordo com a artesã e professora Lucinei Antônio Pereira, mais conhecida como Giva, que também é moradora da comunidade Limpo Grande, a arte das redes sobrevive a gerações.

"Em todas as casas da comunidade tem alguém que faz rede", comentou ela.

Ainda segundo a artesão, que ministra cursos na Casa de Artes do município, tecer redes é uma ofício que exige muita paciência, criatividade e disposição.

"Eu levo dois meses para tecer uma rede", contou Giva.

Entretanto, todo esse trabalho tem valor imensurável, pois representa e leva o nome de Várzea Grande para todos os cantos do país e do mundo.

Seja em exposições, por meio de encomendas ou diretamente em Limpo Grande, as redes, que medem cerca de R$ 2,5 mil são adquiridas e levadas para várias cidades.

"No final do ano, estive em Minas Gerais e vendi quatro redes", destacou a artesã.

A arte também produz a ajuda mútua e, segundo ela, mais importante que vender é divulgar os artesãos e os trabalhos realizados na comunidade.

"Quando eu não tenho rede pronta, pego das minhas vizinhas. O importante é divulgar nossa arte e nosso trabalho", afirmou.

 

Galeria de Fotos

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS