27 de Maio de 2020,

Curiosidades

A | A

Sexta-Feira, 27 de Março de 2020, 13h:43 | Atualizado:

CORONAVÍRUS

Barba gera dúvidas sobre contágio

ANDREOLI.jpg

 

A pandemia do novo coronavírus colocou a barba em xeque. Alguns médicos indicam mantê-la; outros, a remoção total dos pelos do rosto. Pelo sim, pelo não, famosos como o apresentador Felipe Andreoli e o estilista Ronaldo Fraga eliminaram o possível problema pela raiz. "Sem barba, menos um risco", escreveu Ronaldo no perfil do Instagram. Vale ressaltar que não há recomendação do Ministério da Saúde para que homens tirem suas barbas para prevenir a contaminação pelo novo coronavírus.

Segundo o infectologista e professor do Centro Univer sitário São Camilo, de São Paulo, Milton Lapchik, não existem artigos científicos sobre o assunto. "O recomendável é que se apare a barba e o cabelo e que se faça a higiene pessoal de forma adequada, com água e sabão", explica. A coordenadora-chefe do curso de pós-graduação em cosmiatria do Instituto de Dermatologia da Santa Casa da Misericórdia do Rio de Janeiro, Mônica Azulay, diz que homens de barba comprida devem apará-la. Ainda, de acordo com a especialista, não é necessário removê-la por completo. "Barbas compridas acumulam resíduos. Então, a minha indicação é deixá-la bem curtinha e aparada neste momento", diz a médica. Ela também endossa a necessidade das "boas práticas de higiene". "O ideal é lavá-la com água e sabonete líquido com frequência", emenda Mônica, que chama atenção para cabelos compridos. "Quem precisar ir à rua (a recomendação é ficar em casa) deve prendê-lo num coque. E lavá-lo ao voltar para a casa."

A dermatologista Denise Barcellos defende a remoção total da barba. "O pelo pode ser um veículo de contaminação. Como a Covid-19 é uma infecção com tosse e espirro, os perdigotos podem ficar presos aos pelos do rosto. Superfície mais lisa é mais fácil de limpar", diz a médica. "Não tem nada comprovado cientificamente, mas acho vállido remover a barba. Estamos numa guerra."

Essa também é a opinião do dermatologista Tiago Silveira: "A barba é um tecido morto. Se for muito comprida, pode encostar numa superfície contaminada, assim como o cabelo", opina.

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS