07 de Agosto de 2020,

Economia

A | A

Quinta-Feira, 01 de Fevereiro de 2018, 21h:46 | Atualizado:

HERANÇA DE SILVAL

BIRD sinaliza em "comprar" dívida de MT com redução de juros

Negociação pode fazer com que Estado reduza gastos com juros de 5% para 2,5%

taques-bird.jpg

 

A Comissão de Financiamentos Externos (Cofiex), coordenada pela Secretaria de Assuntos Internacionais do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (Seain/MP), recomendou a preparação do projeto para que Mato Grosso renegocie a dívida dolarizada. Diante do parecer, o Governo do Estado deu continuidade às tratativas com o Banco Mundial (BIRD) e, nesta quinta-feira (01.02), o governador Pedro Taques, os secretários de Fazenda, Rogério Gallo, e de Planejamento, Guilherme Muller, se reuniram com representantes da instituição financeira.  

A decisão da Cofiex, de janeiro, veio em resposta à carta-consulta enviada pelo Executivo sobre a troca do credor Bank of America pelo BIRD. A recomendação da Comissão é o primeiro passo para que o Estado possa renegociar o empréstimo com a garantia da União.

“Esta negociação com o Banco Mundial é muito importante para o Estado de Mato Grosso porque pretendemos não somente obter condições mais favoráveis para reduzir o valor da dívida em dólar a ser pago nos próximos anos, mas também contar com o apoio do BIRD para nos auxiliar como consultoria nas reestruturações necessárias para Mato Grosso alcançar o equilíbrio fiscal”, afirmou o governador.

As tratativas sobre a compra da dívida do Bank of America pelo BIRD tiveram início em 2017, com reuniões periódicas realizadas pela Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz) com representes do Banco Mundial e da Secretaria do Tesouro Nacional (STN).

O economista-chefe do BIRD para o Brasil, Antônio Nucifora, reafirmou o interesse do banco em apoiar Mato Grosso. “Naturalmente apuramos que ainda existem desafios a serem enfrentados nos anos que virão, mas identificamos que um avanço enorme foi feito com a aprovação do Regime de Recuperação Fiscal, do Teto dos Gastos, mas que com certeza ainda o Estado está em uma fase de transição e que, talvez, mais tenha que ser feito no futuro próximo”, reafirmou Nucifora, citando a necessidade de medidas estruturantes.

Com a efetivação da mudança de credor, a previsão é a de obter economia efetiva real na dívida dolarizada, com a redução dos juros de 5%, para 2,5%. O estoque da dívida atual é de US$ 331,300 milhões. “Agora entramos em mais uma fase da negociação sobre as condicionantes para que Mato Grosso formalize o pedido da troca do credor junto à Secretaria do Tesouro Nacional (STN), pois é uma operação que continuará tendo a União como avalista. Mas é preciso um ajuste muito rígido para definitivamente rumarmos para a recuperação fiscal do Estado”, afirma o secretário de Fazenda, Rogério Gallo.

Segundo o gestor, como as negociações já vinham sendo acompanhadas pela STN, existe a expectativa de que o novo contrato esteja em vigor a partir do segundo semestre. Em março, o Executivo pagará a primeira parcela anual ao Bank of America, de US$ 35 milhões.

O secretário de Planejamento lembra que a aprovação do Regime de Recuperação Fiscal (RRF) pela Assembleia Legislativa foi um passo importante. “Nesse contexto de negociação, é fundamental já termos o regime, que está sendo levado em consideração como uma premissa pelo banco”.

A reunião desta quinta-feira também contou com as presenças do secretário da Casa Civil, Max Russi, e do adjunto Executivo da Sefaz, Vinícius Saragiotto.



Postar um novo comentário

Comentários (5)

  • Informado | Sexta-Feira, 02 de Fevereiro de 2018, 12h31
    0
    0

    Esse jornal e tendencioso ao colocar o título da matéria herança de Silval. A dívida e do estado portanto existe erros precisa ser esclarecidos , agora o jornal fica tentando colocar o cidadão a favor do desgoverno Taques, por favor deixe de ser tendencioso.

  • Citizenship | Sexta-Feira, 02 de Fevereiro de 2018, 12h10
    0
    0

    O governo brasileiro tem US$ 375 bilhões em reservas internacionais. Quando sai a captar dólares, está conseguindo taxas entre 5% e 6% ao ano. Probabilidade de contratação com taxa inferior a 5% aa pelo governo estadual: improvável. Possibilidade de extensão do período de pagamento: razoável. Vantajosidade: baixa. Ao invés de preocupar-se com essa dívida com o Bank of America, se o governo estadual conseguir captar valores do BIRD, que pague dívida interna, que tem taxas muito mais elevadas e que concentram mais de 75% da dívida estadual.

  • So acho | Sexta-Feira, 02 de Fevereiro de 2018, 07h29
    2
    0

    Alguém provavelmente vai ganhar algo nessa e não é o Estado! Só acho!

  • Contador | Sexta-Feira, 02 de Fevereiro de 2018, 07h28
    2
    0

    Economista qual é a parte da redução dos juros de 5% para 2,5% que vc não entendeu?

  • Economista | Quinta-Feira, 01 de Fevereiro de 2018, 22h20
    19
    8

    GOVERNO INSIPIENTE, NEOFITO E BURRO .. DOLLAR ESTÁ ESTABILIZADO COM VIÉS DE BAIXA. E ESSAS ANTAS QUEREM RENEGOCIAR. ISSO SERÁ DANOSO PARA OS COFRES DO ESTADO. NA VERDADE O TAQUES QUER CARÊNCIA É SÓ ISSO ... ALÔ. ALÔ. MP

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS