29 de Janeiro de 2020,

Economia

A | A

Terça-Feira, 14 de Janeiro de 2020, 23h:43 | Atualizado:

PÂNICO NO ESTAÇÃO

Cliente toma drink com fruta em que é alérgica e desmaia em restaurante em Cuiabá

K. conta que pediu ao garçom para que abacaxi fosse retirado da bebida


Da Redação

Reprod.

coco bambu.jpg

 

Uma mulher identificada por K. relata ter passado por um momento constrangedor e que também colocou sua vida em risco. A situação ocorreu na última terça-feira (7), durante o almoço, no restaurante Coco Bambu, localizado no Shopping Estação, no bairro Santa Rosa, em Cuiabá.

A cliente teria ido até o estabelecimento e tomado um drink de abacaxi, passado mal e desmaiado no restaurante. Além disso, a mulher saiu do local sem consciência e carregada por amigos que a acompanhavam.

K. relatou ao FOLHAMAX  que é alérgica a abacaxi e que descobriu isso quando tinha 6 anos de idade. Desde então, passou a tirar a fruta de seus alimentos e bebidas.

A mulher contou ainda que já teve várias crises ao consumir abacaxi. Por conta disso, ao chegar no Coco Bambu, escolheu um drink do cardápio que continha frutas vermelhas, ao qual não se adequaria ao alimento que possui restrições.

Com a chegada da bebida, a cliente se surpreendeu com um pedaço de abacaxi no copo. Ela, então, pediu para trocar a bebida, substituindo o abacaxi.

O funcionário teria levado de volta à bebida e retornado com outro drink. Por confiar na palavra do rapaz, K. acabou bebendo e, pouco depois, já começou a passar mal.

A mulher relatou que, minutos depois, seu coração começou a ficar acelerado e os seus tímpanos começaram se tampar, assim como sua pressão começou a subir. A vítima ainda teria batido a cabeça na cadeira e desmaiado no local.

Ela foi retirada as pressas do local em uma cadeira de rodas e após foi levada a um hospital na região do Jardim Cuiabá. A mulher ainda citou que antes de perder a consciência questionou o funcionário se teria colocado a "fruta proibida" em sua bebida e ele teria dito que sim.

Porém, ele não soube responder o porquê disto ter acontecido. Ao chegar à unidade hospitalar, a mulher tomou um antialérgico que a ajudou a recuperar os sentidos. “Foi uma experiência muito negativa e muito ruim, eu me senti muito triste. Imagina você, vieram o pessoal lá do shopping com uma cadeira de rodas e me colocaram nela. Imagina só a exposição que eu passei lá na portaria. Eles não deram nenhuma palavra de ajuda, no momento quando isso aconteceu. Uma alergia mata”, alerta a mulher.

Após todo o ocorrido, K. diz que só acabou relatando o que aconteceu com ela para que outras pessoas saibam e para que o restaurante seja mais consciente em relação aos seus clientes. “Eu não ia me aproveitar de uma situação dessas. Eu até me coloco no lugar dos empresários. Sei que ele está ali e nem sabe o que está se passando com os funcionários e dessa forma é o nome da empresa que se suja”, cita.

Depois do ocorrido, no dia em que a situação aconteceu, a mulher ainda tentou por horas fazer uma reclamação no site da empresa. Contudo, segundo ela, não obteve sucesso.

Somente no dia seguinte, a direção do restaurante entrou em contato com ela, pedindo apenas ‘desculpas’ através de uma mensagem pelo aplicatico WhatsApp. Ainda na manhã desta terça-feira (14) foi que novamente ligaram a K. oferecendo ‘reparação’ aos danos causados a ela, tanto físicos, emocionais e financeiros.

A cliente informou que tem receio de voltar ao lugar e relatou isso ao gerente da loja. “Já não me sinto em condições confortáveis de voltar ao lugar, no seu estabelecimento, nas condições na qual eu sai daí. A experiência ruim e risco de vida eu já tive dentro do seu estabelecimento”, disse a vítima ao gestor do restaurante.

Segundo K, tudo isso aconteceu por uma mera ignorância de funcionários, que não acreditaram na situação que ela relatou. A partir de agora, a mulher andará com antialérgicos, pois esta ocorrência só agravou ainda mais seu caso.

OUTRO LADO 

FOLHAMAX ainda entrou em contato com os gestores do local, que ficaram de dar um retorno sobre o ocorrido. Mas até a publicação desta matéria, nenhuma resposta foi recebida.

 

 

 

Postar um novo comentário

Comentários (13)

  • Poker Face | Quarta-Feira, 15 de Janeiro de 2020, 12h31
    3
    4

    Ok K, agora volte para a sua pokebola.

  • luis | Quarta-Feira, 15 de Janeiro de 2020, 12h15
    1
    11

    POBRE !!!! Querendo aparecer !!!! Aposto que juntou o salário do mês para poder ir no Coco Bambu. E qdo conseguiu juntar o dinheiro deu esse bafão...!!!!! Sou alérgico a Camarão, não vou em restaurantes que servem esse prato.

  • cuiabano | Quarta-Feira, 15 de Janeiro de 2020, 12h08
    4
    6

    Bonita pro cê, acostumada tomar tubaína, vai mexer com um suco desse, eh donde memo? Um tar de Coco Bambu....vote pranchei do cê fia!

  • Daiane | Quarta-Feira, 15 de Janeiro de 2020, 09h58
    10
    3

    Sei bem como é isso, meu filho é alérgico a peixe, um certo domingo fomos almoçar no Okada (comemorar aniversário de uma amiga da família, pois caso contrário nem iriamos). Pedimos batata frita ao garçom, perguntei se eles fritavam na mesma gordura que frita o peixe... ele disse que sim, mas que pediria para fritar separado, ainda comentou que a batata não ficava com gosto de peixe. Eu expliquei que não era o fato do gosto e sim alérgico!!! Pois bem, veio a batata e eu confiei, meu menino comeu e minutos depois começou a ficar vermelho, se coçando... pedi gelo e sai correndo pro banheiro pois a água bem gelada ajuda nas coceira... aí vinheram todos preocupados com ele... Adiantou o que se preocupar depois, não acreditaram no meu relato da alergia, como ele comentou que a batata nao ficava com gosto do peixe, deve ter achado que rra só frescura minha.

  • Daiane | Quarta-Feira, 15 de Janeiro de 2020, 09h51
    8
    2

    Sei bem como é isso, meu filho é alérgico a peixe, um certo domingo fomos almoçar no Okada (comemorar aniversário de uma amiga da família, pois caso contrário nem iriamos). Pedimos batata frita ao garçom, perguntei se eles fritavam na mesma gordura que frita o peixe... ele disse que sim, mas que pediria para fritar separado, ainda comentou que a batata não ficava com gosto de peixe. Eu expliquei que não era o fato do gosto e sim alérgico!!! Pois bem, veio a batata e eu confiei, meu menino comeu e minutos depois começou a ficar vermelho, se coçando... pedi gelo e sai correndo pro banheiro pois a água bem gelada ajuda nas coceira... aí vinheram todos preocupados com ele... Adiantou o que se preocupar depois, não acreditaram no meu relato da alergia, como ele comentou que a batata nao ficava com gosto do peixe, deve ter achado que rra só frescura minha.

  • Frederico | Quarta-Feira, 15 de Janeiro de 2020, 08h37
    10
    11

    Se é alérgica atenção redobrada. Vai confiar em terceiros ? Responsabilize-se.

  • Amosil | Quarta-Feira, 15 de Janeiro de 2020, 08h32
    12
    0

    Estive nesse restaurante no dia 26/12/19. .No jantar..Pedi um prato a base d FRANGO..OK ! NO MOMENTO D SERVIR ,o funcionário disse - me q não tinha frango... ACREDITAM!!??

  • pit bitoka | Quarta-Feira, 15 de Janeiro de 2020, 08h08
    5
    12

    ué mas pq foi beber coisa com abacaxi sendo alergica? num entendi nada???

  • Alérgico a lactose | Quarta-Feira, 15 de Janeiro de 2020, 07h11
    12
    5

    Quem tem problemas alergicos não deve sair para comer e beber fora de casa. É meu caso. Saio com os amigos e quando muito tomo água quando estou fora de casa. Sem este cuidado vai passar mal todas,as vezes. Isto é fato. Fica a dica.

  • jose a silva | Quarta-Feira, 15 de Janeiro de 2020, 06h54
    5
    12

    Ganhou os 15 minutos!

  • General Pompeu | Quarta-Feira, 15 de Janeiro de 2020, 06h47
    7
    9

    Ahan...K não quer levantar uma grana aí...ahan...

  • alberico | Quarta-Feira, 15 de Janeiro de 2020, 06h47
    6
    12

    Ainda bem que entraram em contato, se oferecendo para tentar reparar os danos físicos, emocionais e financeiros...... Agora, se a pessoa é alérgica, sabe que é alérgica, viu que no primeiro momento, foi apresentado, uma bebida com a fruta, seria bom ter sempre consigo, uma coisa chamada "DESCONFIÔMETRO", que tal ter um anti alérgico na bolsa ???? Seria bom também ter consciência de que tipo de estabelecimento se está frequentando, ou seja, um restaurante, não é uma creche, nem a pessoa é bebê. Me solidarizo, com a pessoa, por ter passado esta situação, que deve ter sido terrível, mas vamos falar a verdade, ultimamente parece que todo mundo está precisando, (ou querendo) ser assistido em tempo integral, por Babás....... Vamos crescer gente.

  • Rocha | Quarta-Feira, 15 de Janeiro de 2020, 02h35
    11
    5

    Nunca ouvi falar de drink alérgico mas já ouvi falar em cliente com alergia . Kkķkkk

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS