25 de Maio de 2020,

Economia

A | A

Terça-Feira, 07 de Abril de 2020, 00h:19 | Atualizado:

Confira quem receberá auxílio de R$ 600 e como sacar

Aprovado essa semana e publicado em Diário Oficial na noite de quinta-feira (2), o auxilio emergencial de R$ 600 começará a ser pago no dia 10 de abril. Os repasses seguem o cronograma no programa Bolsa Família e é uma ajuda para os trabalhadores que tiveram a renda comprometida por conta da pandemia do novo coronavirus, Covid-19.

Para esclarecer mais detalhes sobre quem tem direito e como receber o benefício, o  falou com a economista Edijeide Freitas. A profissional explicou que o dinheiro é direcionado aos Microempreendedores Individuais (MEI), autônomos que possuem registro no Cadastro Único (Cad Único), quem paga o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) como autônomo e os autônomos em geral que possuem renda familiar de até R$ 3,2 mil. O auxílio é limitado a duas pessoas por família.

Quem já recebe os Bolsa Família terá o dinheiro do auxilio emergencial primeiro. Logo depois, recebem os trabalhadores informais que estão no Cadastro Único, em seguida os MEI e autônomos, que contribuem para o INSS recebem e, em seguida, e os informais não cadastrados serão os últimos. O trabalhador pode confirmar se está no Cad Único pelo aplicativo, site ou telefone 0800 707 2003.

Os pagamentos serão feitos por meio da Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil e bancos privados, além das lotéricas e Correios. A economista explica que o valor de R$ 600 considera a capacidade de repasse do governo Federal e também uma quantia para que as famílias garantam a alimentação.

O dinheiro vem dos cofres públicos por meio de despesa extra orçamentaria em caráter de emergência para atender a situação de calamidade pública. Um gasto não esperado, mas justificado pela calamidade.

Criado por meio da lei 13.982/20, o repasse é temporário e tem duração de 3 meses. Quem não for cadastrado no Cad Único deve entrar em contato pelos canais citados e fazer a autodeclaração para receber a ajuda. R$ 98 bilhões serão destinados ao programa.

Essa é a primeira medida de auxilio ao trabalhador anunciada pelo governo Federal. A ação tem sido adotada por todos os países afetados pela pandemia que já matou milhares de pessoas. “Como não se sabe quanto tempo irá durar essa crise, os pacotes de medidas estão sendo liberados a conta gotas. Até para entender a performance efetiva das medidas. Esse é um primeiro movimento e o governo não descarta futuros depósitos, futuras entregas de recursos para a classe de autônomos. Todos os governos estão fazendo isso”, explica a especialista.

A economista explica que, a princípio, o dinheiro é para alimentação, mas há estudos que visam mais repasses para ajudar na subsistência das pessoas e também girar a economia. “Nenhuma economia estava preparada para tudo isso que está acontecendo”, ressalta.

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS