25 de Maio de 2020,

Economia

A | A

Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h:00 | Atualizado:

Construção civil volta a se recuperar em Mato Grosso

Depois de forte pressão inflacionária sobre o segmento da construção civil, em Mato Grosso, o custo médio de edificação do metro quadrado (m²) fechou o mês de novembro em retração, a maior verificada na região Centro-Oeste. O Estado teve muitos momentos, desde o ano passado, de forte pressão inflacionária sobre o segmento. O m² chegou a acumular, entre 2013 e 2014, a maior inflação regional e nacional. 

Ontem, o IBGE divulgou dados do Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi), calculado mensalmente em parceria com a Caixa Econômica Federal. Em novembro, o custo médio do m² somou, entre insumos e mão de obra, R$ 929,95, o 10º maior do ranking nacional. No país, o valor médio ficou em R$ 907,43 e no Centro-Oeste, R$ 923,53. 

Detalhando os dados de Mato Grosso, o IBGE destaca que na avaliação da inflação no ano, o Estado fechou os primeiros dez meses do ano com o menor índice da região, 5,23%, bem como dos últimos doze meses: 5,77%. 

Com variação de 0,76%, a região Nordeste foi a que apresentou a maior alta em novembro. Os demais resultados foram: 0,07% (Norte), -0,18% (Sudeste), 0,27% (Sul), e 0,09% (Centro-Oeste). Os custos regionais, por metro quadrado, foram: R$ 921,38 (Norte), R$ 849,69 (Nordeste), R$ 945,19 (Sudeste), R$ 923,36 (Sul) e R$ 923,53 (Centro-Oeste). 

Em decorrência da pressão exercida pelo reajuste salarial do acordo coletivo, Pernambuco foi o estado com maior alta no mês, com taxa de 3,98%. 

Conforme o IBGE, estes resultados acumulados levam em conta a desoneração da folha de pagamento de empresas do setor prevista na lei 12.844, sancionada em 19 de julho de 2013. Não fosse o benefício, o m² em Mato Grosso estaria próximo de R$ 1 mil. 

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS