07 de Agosto de 2020,

Economia

A | A

Terça-Feira, 07 de Julho de 2020, 15h:03 | Atualizado:

Criadores mato-grossenses promovem “Leilão virtual da raça pantaneira”

Em tempos de pandemia provocada pelo novo coronavírus, a busca por alternativas para aquecer a economia ganha força entre os criadores da raça pantaneira. Produtores de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul vão promover neste sábado (11), às 10h (de Brasília), o “Leilão virtual do cavalo pantaneiro”.

Um total de 80 animais - fêmeas e machos - estará disponível para venda, com expectativa de movimentar em torno de R$ 1 milhão. Descendente dos animais utilizados pelas tropas portuguesas, o cavalo pantaneiro é reconhecido por sua rusticidade, resistência e versatilidade para provas esportivas e trabalho no campo.

Conforme o diretor da Associação Mato-grossense dos Criadores do Cavalo Pantaneiro (AMCCP), Breno Molina, diversas características da raça pantaneira ajudam a alavancar os negócios, entre elas, uma que se destaca é a fertilidade, pois são animais que se reproduzem o ano todo.

“Uma vez introduzidos na região, esses animais formaram uma raça bem adaptada às condições ecológicas do Pantanal, fruto da ação da seleção natural durante centenas de anos. Desde a implantação de fazendas, o cavalo pantaneiro tem sido importante para o manejo do gado e também um meio de locomoção para os moradores”.

Breno explica que um dos principais motivos para a conservação do cavalo pantaneiro é o seu valor genético. São animais de porte médio, ótimo desempenho funcional e agilidade para provas equestres (enduro e rédeas), com exemplares bem colocados em competições nacionais. Apesar de tudo isso, quase foram extintos devido a doenças e cruzamentos indiscriminados com outras raças.

“O trabalho feito por instituições como a Associação Brasileira de Criadores do Cavalo Pantaneiro (ABCCP), criada em 1972, conjuntamente com as associações regionais, evitou a extinção da raça que ainda hoje necessita de programas específicos para a sua conservação. Por isso, trabalhamos oferecer apoio aos criadores”.

A plataforma virtual do leilão foi uma maneira encontrada de continuar movimentando o setor, que desmarcou as inúmeras provas e eventos que seriam presenciais para o primeiro e segundo semestre de 2020. “Nossa ideia é manter a economia girando sem desrespeitar as medidas sanitárias que exigem isolamento social na maioria dos municípios”, afirma o criador Breno Molina, que vem de uma linhagem de pai e avô pecuaristas de Poconé, no Pantanal.

Leilão virtual - Dentre os 80 cavalos pantaneiros ofertados, cinco são reprodutores, 40 são cavalos aptos para trabalho, esporte e lazer; e éguas de laço comprido, adaptadas para trabalho e reprodução. Os remates serão ao vivo pelo Terra Viva, EBL Web e conduzidos pela Estância Bahia Leilões, com a parceria da ABCCP. Os cadastros podem ser feitos no (65) 2121-6700 (cadastros e lances). Acompanhe no site: https://www.estanciabahia.com.br/agenda-de-leiloes/leilao-virtual-producao-do-cavalo-pantaneiro.html

Números - Existem atualmente cerca de 5 mil cavalos pantaneiros puros registrados na ABCCP, com mais de 130 criadores localizados em 21 subregiões. O número total estimado de equinos no Pantanal é 100 mil, o que revela uma grande quantidade de animais mestiços.

 

 



Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS