06 de Agosto de 2020,

Economia

A | A

Quinta-Feira, 25 de Janeiro de 2018, 16h:25 | Atualizado:

NEGÓCIOS

Empresa de energia da China pode investir em MT

chinesessedec.jpg

 

Na manhã desta quinta-feira (25.01), a Secretaria de Desenvolvimento Econômico (Sedec) recebeu a visita de dois representantes da empresa chinesa de energia Corona Energy Technology, Lawrence Liu e Henrique Kao para uma conversa informal sobre a possibilidade de parcerias em novos negócios.

O encontro, que contou com a presença do secretário da Sedec, Carlos Avalone e de representantes da agência Desenvolve MT, serviu para apresentar aos visitantes um pouco do atual cenário econômico mato-grossense, com dados e números que revelam o potencial do Estado.

Entre os objetivos da dupla, consta a intenção de instalar uma fábrica de placas solares em Mato Grosso, já que são oriundos de uma grande companhia especializada na produção de produtos de energia eólica e fotovoltaicos e que também atua na comercialização de equipamentos de energia solar como controladores, inversores, produtos domésticos, energia híbrida, entre outros.

“Nossa intenção é conhecer um pouco mais o Estado, saber como podemos investir e sermos parceiros comerciais. Também temos interesse em outros produtos como carne e café, bem como, na área da piscicultura, e sabemos que Mato Grosso é muito forte na exportação dessas commodities. No mundo todo vem se observando o crescimento das energias alternativas, sustentáveis e queremos explorar isso e atingir os países da América Latina”, explicou o diretor operacional, Henrique Kao.

Ainda conforme Kao, de olho no mercado externo, em 2017, a Corona abriu um escritório de vendas para organizar estratégias, foi então que o mercado brasileiro se tornou um dos seus pontos de foco devido à sua taxa de eficiência energética e ao mercado doméstico de energia. No ano passado, a Corona Technology instalou em São Paulo uma filial brasileira e já começa a fechar negócios, como por exemplo, em Rondônia onde conseguiu montar um sistema de irrigação solar voltada para a agricultura.

Pela vocação natural do Estado no segmento ‘agro’, este ponto chamou a atenção e os chineses fizeram questão de explicar que o sistema pequeno que comporta quatro placas solares pode beneficiar os produtores e agricultores locais, pois tem custo inicial de cerca de R$6 mil.

Ciente de que o grupo já está firmando parcerias em outros Estados, como Rondônia e Pará, Avalone ressaltou algumas características que fazem de Mato Grosso um local oportuno para investir, tanto pela sua localização estratégica tendo como vizinhos, países sul-americanos como a Bolívia e o Paraguai, e as rotas de escoamento do produto que podem ser feitas pelos rios, além da ZPE de Cáceres que está sendo construída e irá facilitar as operações de importação e exportação. “Queremos continuar no radar de vocês, peço que voltem para realizarmos outras conversas futuras e, quem sabe, firmarmos parcerias, pois, apesar do gigantismo nos números apresentados aqui, o atual governo também se preocupa com a questão ambiental e vem atuando para reduzir impactos, é aí onde a energia solar pode ajudar”, avaliou.   

 

 



Postar um novo comentário

Comentários (6)

  • Rogério | Sexta-Feira, 26 de Janeiro de 2018, 08h33
    2
    1

    Essas fontes de energia alternativa que o próprio usuário produz nunca serão estimulada pelo governo por uma razão bem simples, não da pra cobrar imposto. E todos sabem que o imposto sobre a energia elétrica é de aproximadamente 45%.

  • Rogério | Sexta-Feira, 26 de Janeiro de 2018, 08h29
    1
    1

    Essas fontes de energia alternativa que o próprio usuário produz nunca serão estimulada pelo governo por uma razão bem simples, não da pra cobrar imposto. E todos sabem que o imposto sobre a energia elétrica é de aproximadamente 45%.

  • Chico | Sexta-Feira, 26 de Janeiro de 2018, 07h49
    0
    1

    Caros amigos, é simples o entendimento. Energia é um dos maiores pagadores de ICMS dos Estado! A população é que se F. Essa é a visão de gestão publica, infelizmente.

  • Ex consumidor pagador | Sexta-Feira, 26 de Janeiro de 2018, 03h45
    1
    0

    Eu sempre paguei a conta da forma correta até que certa vez os valores dobraram, sem eu estar usando, entrei com processo contra a empresa mas não sei como perdi a causa, mas também não paguei. hoje não uso geladeira e empresto uma extensão do vizinho para o ventilador, já que pra ligar a energia eu teria que pagar já que perdi a ação, mas não vou pagar pq não gastei, oq aconteceu não sei também, só sei que não gastei. Agora estão trocando os relógios tirando do poste e voltando com o padrão, eles fazem o que querem e vc gasta gasta conforme o que eles decidem, estão sempre mudando e que se dane quem precisa do serviço. As pessoas são apenas números a ouvidoria é uma piada, disse que não cortaria a energia enquanto não resolvesse e achasse o problema. 3 dias depois minha energia estava cortada...Isso é desumano, eu sei que vcs precisam ganhar o seu $$ mas uma pessoa que procura a empresa 2 vezes e mais uma na ouvidoria é porque quer resolver na boa, uma pessoa que sempre pagou certo e nunca fez gato na rede, sempre agiu corretamente, a cesar o que é de cesar. Mas tá certo, quando vcs estiverem no caixão e os vermes comerem vcs vão saber que todo mundo é igual, nasce e morre igual e não leva nada. Mas talvez se Deus existe ele tá vendo e vc será julgado por suas ações. Mas se Deus não existe, matar e roubar tanto faz e o mundo é uma mer....

  • edy marcos | Sexta-Feira, 26 de Janeiro de 2018, 00h09
    2
    1

    Fomenta painéis solar para as pessoas de baixa renda caramba. São vários benefícios: saúde, econômico, sobra mais dinheiro para girar na cidade o que gera mais imposto no local..... A energia pode até ficar mais barata...mas sabe como é né, lucro só para uma minoria de safados.

  • Ademir | Quinta-Feira, 25 de Janeiro de 2018, 18h18
    2
    1

    Até hoje nenhum Governo de MT olhou especificamente para a energia solar abundante que tem no MT como a eólica para muitas cidades no litoral brasileiro, principalmente em Natal. Incrível como não fazem redução e isenção de impostos para adquirir ou incentivar tecnologias mais baratas para usufruir a energia que temos de graça e abundante em todos os meses do ano, o SOL, energia solar.

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS