09 de Agosto de 2020,

Economia

A | A

Sábado, 11 de Julho de 2020, 09h:54 | Atualizado:

PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR

Estado propõe "capitalização" para reforçar aposentadoria de servidores

Valor aportado mensalmente será investido em uma conta individual

mtprev.jpg

 

A proposta de uma previdência complementar para os servidores estaduais em tramitação na Assembleia Legislativa, é parte fundamental da reforma da previdência. A partir deste novo modelo, o servidor poderá destinar contribuições mensais a uma conta pessoal de previdência complementar, com o objetivo de aumentar o valor da sua aposentadoria no futuro. 

Com a nova previdência, o servidor pagará menos contribuição previdenciária obrigatória, e poderá ter autonomia para escolher o montante adicional que irá investir para a sua aposentadoria. A proposta de Lei Complementar 06/2020 prevê que os  servidores que ingressarem a partir da instituição desse novo sistema farão parte de forma automática do regime complementar, e irão se aposentar pelo Estado com, no máximo, o valor do teto do INSS, hoje fixado em R$ 6.101,06.  

Apesar da adesão a previdência complementar ser facultativa, o presidente do Mato Grosso Previdência, Elliton Oliveira de Souza, afirma que ainda será vantajoso para uma parcela dos servidores a adesão voluntária.

"Cada servidor deverá ajustar a sua previdência ao seu objetivo de vida, ao quanto ele está disposto a pagar e o quanto ele deseja receber no futuro. Por isso, cada servidor deve calcular qual regime é mais vantajoso a longo prazo. A previdência complementar será uma possibilidade a mais para o servidor", explica.

Quanto maior o tempo que falta para atingir os requisitos para a aposentadoria, maior é a viabilidade de adesão, devido à possibilidade de acumular caixa na conta individual. Os atuais servidores também poderão aderir ao novo regime.

Servidores que ingressaram mais recentemente no poder público compõem o grupo com mais benefícios para a adesão: quem ainda precisa contribuir com mais do que 15 anos, ganha até 10 mil reais, e já não possui a paridade e integralidade dos mais antigos que ingressaram na carreira até 2003.

Entenda a proposta

O servidor que ingressar em uma carreira no Estado a partir da aprovação da reforma, ou que optar pelo regime de previdência complementar, irá contribuir obrigatoriamente com 14% sobre o salário, até o teto do INSS. Por sua vez, a aposentadoria também será concedida até este teto.

Sobre valor que ultrapassar o teto do INSS, será possível pagar o percentual escolhido pelo servidor, que será depositado em uma conta pessoal, que representará a capitalização do valor para rendimento. A vantagem em comparação com a previdência privada é que, conforme o texto, o Estado deve fazer um depósito na conta de um valor que representa o mesmo percentual escolhido pelo servidor, com o limite de até 7,5% do salário que exceder o teto do INSS.

No regime atual, toda a contribuição dos servidores é utilizada para pagar os atuais inativos, que somam pouco mais de 35 mil beneficiários, entre aposentados e pensionistas. O valor ainda não cobre os custos, o que representa um déficit coberto com recursos do Tesouro estadual na ordem de R$1,3 bilhão apenas em 2019.

 



Postar um novo comentário

Comentários (13)

  • Adão | Sábado, 11 de Julho de 2020, 20h44
    2
    0

    Fiquem de olho com Mauro mente e sua turma pessoal......sempre querendo armar para os servidores......

  • . | Sábado, 11 de Julho de 2020, 20h13
    2
    0

    Capitalização para pagar duas vezes a mesma coisa? E quem já paga há mais de vinte anos? Toma vergonha na cara povo.

  • Antonio Carlos | Sábado, 11 de Julho de 2020, 17h31
    2
    0

    O Estado virou urubu ...muitos servidores estão morrendo de covid..deveriam esperar os próximos dois anos para ver o tanto de servidores acima dos 50 que ainda estão vivos ..acorda servidores ...todo dia está morrendo um ...daqui uns dias essa previdência vai sobrar é muito dinheiro para esses políticos usarem .

  • Critico | Sábado, 11 de Julho de 2020, 16h32
    2
    0

    Extingue o desconto da previdência dos servidores ativos e cada um que faça a sua como quiser na previdência privida aposto que ainda será melhor gerida do que o MT previ e sem corrupcao e se caso tiver a justiça será mais ágil há que não terá político para ela proteger

  • João da Costa | Sábado, 11 de Julho de 2020, 14h36
    1
    0

    Essa é a maior armadilha que já inventaram no planeta, se não vejamos por exemplo o Chile onde o Sr Guedes com seus projetos destruiu a vida de muitos trabalhadores, os fundos de pensão petros postais BB cef onde aqui no Brasil a roubalheira foi um colosso é quem está metido nisso até o pescoço o Sr Guedes, então só acredita nisso quem quiser.

  • Ramis | Sábado, 11 de Julho de 2020, 14h21
    1
    0

    Guedes bolsolixo e mentiroso do governador ... conseguiu o q queria.. o servidor futuro e aqueles que nao se enquadram nas regras antigas da previdencia... suas aposentarias sera menor que o teto do inss... pois nao se esquecam dos 14% q ira descontar depois de aposentados kkkk agora sim o sarvidor se aposentara com menor salario q um gerente executivo das empresas desses ratos ...

  • Luiz Junior | Sábado, 11 de Julho de 2020, 14h03
    3
    0

    Vamos ver se é tão bom, quero ver o Presidente do MTPREV, Elliton Oliveira de Souza, e Bruno Sá aderirem quando for aprovado pela AL/MT. Estarei acompanhando a adesão de vocês dois.

  • José Carlos Rodrigues da Silva | Sábado, 11 de Julho de 2020, 13h02
    8
    1

    Sem querem napaha o dinheiro. E uma Vergonha comprar funcionário público com da iniciativa privada. Aqui não tem FGTS ou tem? A grande maioria dos servidores recebem mal, só tem um pouca gasta de privilégio no setor público, mas sua grande maioria vai passar fome,sem plano de saúde, E as reforma vai chamar reforma da fome.e e da miséria. O fatos dirão lá na frente, quero estar errado .

  • alexandre | Sábado, 11 de Julho de 2020, 10h57
    18
    0

    Tá achando que tem otário, história torta.o governo quebrou o fundo com má Administração.. ninguém vai aderir..

  • Karlos | Sábado, 11 de Julho de 2020, 10h52
    14
    0

    melhor fazer sem o envolvimento dos políticos, quebram tudo, louco o é o servidor que deixar seu futuro nas mãos dos polticos

  • Rosana | Sábado, 11 de Julho de 2020, 10h48
    20
    0

    Por favor corrijam, não é plano para aumentar a aposentadoria e sim para os servidores pagar mais.

  • Roberto | Sábado, 11 de Julho de 2020, 10h47
    19
    0

    Sabe aquela pessoa que quando oferece algo é porque tem segundas intenções??

  • GR | Sábado, 11 de Julho de 2020, 10h20
    24
    0

    Faz o seguinte acaba de vez com previdência e deixa o funcionário público fazer sua previdência totalmente particular, só assim esses ladrões políticos não roubam o dinheiro que acumula para a aposentadoria

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS