29 de Maio de 2020,

Economia

A | A

Quinta-Feira, 09 de Abril de 2020, 20h:23 | Atualizado:

SEMANA SANTA

Feirantes entregam peixe delivery em Cuiabá


Gazeta Digital

peixes.jpg

 

Feirantes do Mercado do Porto já contabilizam perdas das vendas fracas na Semana Santa. A expectativa era de que o movimento melhorasse nesta quinta-feira (9), mas o fluxo de clientes frustrou o volume esperado. A estimativa é de 80% a menos nas vendas que o habitual para o dia. Para driblar os prejuízos, alguns empreendedores têm apostado nas entregas à domicílio.

Por conta da pandemia de coronavírus Covid -19, o horário de funcionamento do Mercado do Porto foi modificado. Durante o decreto que limita a abertura de comércio em Cuiabá, a feira estará aberta ao público de terça a sexta-feira, das 5 às 15h; aos sábados, das 5 às 14h; e nos domingos, o horário de funcionamento é das 5 às 12h.

Há 25 anos trabalhando com a mãe da peixaria, Emanuele Souza conta que o movimento está muito fraco se comparado a Semana Santa de anos anteriores. “As pessoas têm vindo em horários alternativos, mas estão com muito medo do coronavírus. A redução do horário de atendimento também prejudicou um pouco as vendas”, conta a comerciante.

Ela conta que de manhã o peixe é vendido na barraca do Mercado e, á tarde, o pescado é comercializado no sistema de delivery (entregas).

“Em outros anos isso aqui estaria cheio de gente comprando e de pessoas vendendo. A estima uma queda de 80% nas vendas. Para essa semana, encomendamos 700 kg de peixe. Ficamos com medo de fazer estoque e perder, porque o peixe é uma mercadoria muito perecível”, relata a jovem.

No Mercado, é possível encontrar grande variedade de peixes. O mais acessível, o Tambacu, é vendido a R$ 15 o quilo. O mais valioso é o pintado, que custa R$ 33 o quilo. No entanto, o mais vendido é Tambacu já em ventrechas. O pacote com 7 pedaços é comercializado a R$ 13. Para quem gosta de carne exótica, é possível encontrar arraia vendida a R$ 20 o quilo.

Além do peixe, no local o cliente encontra condimentos e acompanhamentos para preparar o almoço da Sexta-Feira Santa. Sonia Maria Conceição é cliente assídua do mercado, mas com a pandemia tem limitado suas idas ao local. Logo pela manhã de quinta-feira, ela já estava com sacolas cheias de itens para preparo do almoço para a família.

“Eu tive que vir porque só eu sei comprar o peixe, mas já estou indo embora. Vim rápido comprar o que precisava”, conta. A mulher está no grupo de risco, por conta de doença cardíaca e usava máscara enquanto transitava pelo local.

Por conta da pandemia, a Prefeitura de Cuiabá não realizou o tradicional Peixe Santo, que distribui pescado para famílias carentes.

Casos de Covi-19 em Mato Grosso

O último boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES) apontou 90 casos confirmados da doença. Há outros 446 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRG), que aguardam resultados de exames.

 

 

 

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS