09 de Agosto de 2020,

Economia

A | A

Quarta-Feira, 24 de Junho de 2015, 13h:17 | Atualizado:

MT recebe megaoperação de transferência de embriões da raça Senepol

Começou na última segunda-feira (22 de junho), em Campo Novo do Parecis, no Estado do Mato Grosso, uma das maiores operações de Transferência de Embriões (TE) na história da raça Senepol, e muito provavelmente da pecuária brasileira. Mais de 20 profissionais, entre técnicos, veterinários, zootecnistas e colaboradores são instruídos pela Senepol Nova Vida, de Ariquemes (RO), na execução de 1.000 protocolos de transferência. o processo será executado até amanhã, 25 de junho.

A operação ocorre em uma das fazendas do empresário Alceu Elias Feldmann, controlador da maior indústria de fertilizantes do Brasil, a Fertipar, e parceiro da Senepol Nova Vida, a quem são creditadas as primeiras importações de animais vivos do taurino adaptado aos trópicos.  Um avião particular foi necessário à locomoção da vultosa equipe de campo envolvida, equipamentos e embriões congelados. “E essa é apenas a primeira das três etapas do processo. Na verdade, devemos chegar a 3.000 protocolos até 2017”, informa Ricardo Arantes, diretor-executivo da Senepol Nova Vida.

O controlador da Fertipar se surpreendeu, principalmente, com a eficiência reprodutiva dos touros na monta natural. Por este motivo, escolheu o Senepol para compor um audacioso projeto de integração lavoura-pecuária. “Ficamos extasiados quando nos deparamos com um rebanho de 10.000 matrizes em perfeitas condições de escore corporal e fertilidade”, comenta Arantes. Apesar de seguir na pecuária há pouco tempo, a meta do empresário é abastecer a indústria frigorífica com uma carne de qualidade diferenciada, produzida com baixo custo e máximo aproveitamento de carcaça.

Para tanto, o cruzamento industrial será uma de suas maiores aliadas, através da inseminação artificial e posterior repasse com touros Senepol. Pensando explorar ao máximo o ciclo de alta no mercado do boi gordo, Feldmann concluiu que deveria desenvolver seu próprio plantel de Senepol para ser autossuficiente na produção de touros, evitando, assim, escassez de animais de reposição, hoje o maior desafio dos confinamentos em todo o país.

Existem no Brasil cerca de 270 criadores de Senepol e um rebanho de 40 mil animais registrados. “É o maior plantel de Senepol do mundo, no entanto, pelo tamanho de nossa pecuária, a oferta anual de touros, bezerras, novilhas, matrizes, touros e doadoras ainda é um fator limitante. Com base na precocidade, adaptabilidade, rendimento de carcaça e qualidade de carne, estima-se que o Senepol complemente a renda produtor em mais de 30%”, garante Arantes.

Acesso à melhor genética

Há quatro anos, a Senepol Nova Vida desenvolveu um modelo inovador de parceria para popularizar a raça nos grandes centros produtores de carne bovina. A empresa faz a coleta de oócitos de suas melhores doadoras, os fertiliza em laboratório, com sêmen de seus melhores reprodutores, e também responde pela execução dos protocolos de transferência embrionária. Já os parceiros entram com as matrizes, se responsabilizam pelo manejo reprodutivo das mesmas e garantem a integridade dos bezerros até a fase da desmama. Ao final do processo, a produção é dividida em partes iguais. “É um negócio vantajoso para quem ingressa, que tem a chance de iniciar a própria criação com a melhor genética disponível”, conclui Arantes. A Senepol Nova Vida é pioneira e possui diversas linhagens importantes, incluindo algumas raridades tais como a Castle Nugent Farm (CN), uma das primeiras famílias Senepol no Caribe (berço da raça), datada da década de 1960.

 



Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS