09 de Agosto de 2020,

Economia

A | A

Terça-Feira, 23 de Junho de 2015, 16h:35 | Atualizado:

PODRIDÃO NA PRATELEIRA

Procon acha 300 quilos de produtos vencidos em mercados de Cuiabá

MERCADOS-VENCIDOS.jpg

 

Uma fiscalização do Programa de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) em 22 supermercados de Cuiabá retirou cerca de 300 kg de alimentos vencidos das prateleiras. Foram encontradas irregularidades em 90% dos supermercados fiscalizados.

Além dos alimentos vencidos, também foram encontrados preços de produtos diferentes do que os anunciados nas prateleiras. O economista Gilberto Addor de Souza conta que é comum ver produtos vencidos à venda, além de outras irregularidades. “Por exemplo, um preço está na gôndola e quando você passa no caixa é outro”, contou.

Esta é a segunda fiscalização do Procon em supermercados da capital. Na primeira ,foram notificados 10 estabelecimentos e agora os fiscais voltaram aos locais e fizeram novas notificações. “É um número alto principalmente se levarmos em consideração que o Procon realizou uma fiscalização no início deste ano e diariamente são feitas campanhas de orientação para evitar esse tipo de prática”, disse Ivo Vinícius Firmo, chefe de fiscalização do Procon-MT.

Os supermercados que não tinham o número  suficiente de funcionários para atendimento também foram notificados. Infrações como essas estão sujeitas a multas que podem chegar até R$ 9 milhões. O chefe de fiscalização orienta os consumidores a verificar a data de validade e as demais informações que constam na embalagem e a evitar produtos rasgados ou adulterados. Também preciso prestar a atenção nos preços. Sehouver divergência nos preço, e necessário exigir que pague o menor preço. “Sempre que o consumidor verificar essa divergência tem que sempre exigir o menos preço”, pontuou.



Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • AUGUSTO CESAR DELGADO DA SILVA | Quarta-Feira, 24 de Junho de 2015, 09h01
    15
    0

    Esse tipo de matéria precisa dar nomes aos bois e informar a população quais empresas estão agindo de má fé e nos prejudicando, nós consumidores...

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS