04 de Julho de 2020,

Economia

A | A

Terça-Feira, 30 de Junho de 2020, 00h:25 | Atualizado:

Projeto cria crédito emergencial a pequenos e microempresários de MT


TV Centro América

A Assembleia Legislativa e o governo do estado criaram um fundo para auxiliar microempresários no período da pandemia do novo coronavírus. A proposta é disponibilizar R$ 50 milhões para crédito emergencial às empresas. Os recursos seriam oriundos da própria Assembleia, do governo do estado e de parceiros como o Poder Judiciário.

A pandemia do novo coronavírus já fez com que 1 milhão de brasileiros perdessem o emprego só em maio, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A crise econômica afetou todo o comércio e 11 mil indústrias do estado

O deputado estadual Carlos Avalone (PSDB) explica o funcionamento do fundo de crédito. “A Assembleia foi o primeiro poder que movimentou R$ 30 milhões e a Mesa Diretora está disposta a colocar mais R$ 10 milhões ou R$ 15 milhões em um fundo garantidor para atender os pequenos e médicos comerciantes. Esse fundo já acontece em outros estados como Minas Gerais. Estamos trazendo essa ideia pra cá e deveremos aprovar, assim que o governo do estado nos encaminhar. Já existe um decreto na Casa Civil que deverá ser aprovado nos próximos dias que está reestruturando a Desenvolve MT. Ela já criou com a sua equipe uma plataforma online que já tem 4 mil inscritos pedindo crédito, e esse fundo vai facilitar o acesso”, afirma.

Para muitos micro e pequenos empreendedores, a principal dificuldade está no acesso aos financiamentos e linhas de créditos. Com o fundo voltado para o comércio, a expectativa é de que tudo seja feito sem muita burocracia, com facilidades para que as empresas retomem as atividades.

O presidente da Federação das Indústrias do Estado de Mato Grosso (Fiemt) comenta que não pode haver muita burocracia para a aprovação do auxílio, se não o empresário desiste. “Dois a três anos de prazo de pagamento no mínimo pra que esse microempreendedor possa ter tempo para recompor suas finanças e acesso simplificado. Não pode ter muita burocracia. Tem que ser a comprovação de renda, os documentos pessoas e o acesso ao crédito, porque se a gente ficar sofisticando demais essas exigências, o empresário desiste antes de tentar”, afirma.

Os recursos serão oferecidos para microempresários individuais, microempresas, empresas ligadas ao turismo, hotéis, pousadas, bares e restaurantes. Para passar a valer mesmo, ainda precisa de aprovação da Assembleia Legislativa.

Segundo a Federação das Indústrias de Mato Grosso (Fiemt), o fundo prevê que o dinheiro chegue mais rápido com juros mais baixos e maior prazo para o pagamento. “O micro e pequeno empresário precisa de apoio para poder suportar o momento de pandemia e a grande vantagem desse projeto é que ele oferece recurso de maneira desburocratizada pra uma grande maioria de empreendedores, que com pouco recurso, colocam seu negócio para girar novamente”, afirma.

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS