25 de Janeiro de 2020,

Entrelinhas

A | A

Quarta-Feira, 11 de Dezembro de 2019, 13h:11 | Atualizado:

INVESTIGAÇÃO

Empresa paga R$ 100 mi e se livra

defaz-pc.jpeg

 

Nas articulações junto ao Cira (Comitê Interinstitucional de Recuperação de Ativos) uma grande empresa do agronegócio aceitou pagar R$ 100 milhões ao governo do Estado referente a impostos que não estavam entrando no caixa do Executivo. Com isso, a empresa se livrou de ser alvo da próxima fase da Operação Fake Paper, que apura um grande esquema de sonegação de ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) no Estado e teve sua primeira fase deflagrada em setembro deste ano pela Delegacia Fazendária.

De quebra, os valores depositados empresa serão importantes para o Estado fechar o ano com as contas equilibradas. Boa parte será empregada no pagamento do 13º salário do funcionalismo público, no próximo dia 20 de dezembro.

 

Postar um novo comentário

Comentários (4)

  • Justiça | Quinta-Feira, 12 de Dezembro de 2019, 07h43
    1
    0

    Só não fala porque não querem porque é público que a tal sonegadores só um pagou ao MP TJ entre outros contra a ex mulher num processo de litígio que a mesma tinha direito a 80 MILHÕES na separação de corpos ainda um valor a Hum milhão e meio de reais. As cópias da denúncia feita antecipada estão em ótimas mãos do Brasil e fora caso falte combustível para alibes contrários.

  • joana | Quarta-Feira, 11 de Dezembro de 2019, 18h41
    4
    0

    absurdo gastar esse dinheiro com salario de comissionados e cargos de confiança. deveriam ser todos exonerados. fiquem so com os que fizeram e passaram no concurso. mt merece que esse dinheiro seja investido em segurança, saude e educação

  • joaoderondonopolis | Quarta-Feira, 11 de Dezembro de 2019, 15h05
    6
    0

    Se vai devolver R$ 100.000.000,00 (cem milhões de reais), calcula quanto deixou de recolher para o estado. O pior que a reportagem e nem o estado falou o nome da empresa. O estado não pode receber sem mais e nem menos, tem que calcular o valor real e meter o ferro. Ao invés de receber R$ 100 milhões de reais, derrepente receberia R$ 300 milhões.

  • Rubens Tadeu Reynaud | Quarta-Feira, 11 de Dezembro de 2019, 13h33
    6
    0

    QUAL E A EMPRESA? REPORTAGEM PELA METADE NÃO TEM VALIDADE.

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS