31 de Maio de 2020,

Artigos

Esporte

A | A

Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h:00 | Atualizado:

Mistério sobre compra de Pato no Corinthians envolve até a Nike

Carta enviada pela oposição do Corinthians a Mário Gobbi há pelo menos um mês retrata cenário de traições e acusações intalado no clube. A crise teria sido provocada por ataques de aliados de Andrés Sanchez ao grupo do atual presidente .

Além do registro formal da divisão entre os situacionistas e críticas ao não pagamento de impostos durante a gestão do ex-presidente, o documento amplia a investigação feita pela oposição sobre os gastos com a compra de Alexandre Pato.

Na mensagem, líderes oposicionistas indagam se o Corinthians efetuou pagamento à empresa Providence Midia, com escritórios em São Paulo e Miami, relativo à negociação com o atacante. E se houve repasse da Nike, patrocinadora corintiana, para a mesma empresa, também por conta da operação Pato.

Esse foi o segundo questionamento feito pelos opositores sobre o assunto. No primeiro, eles também se queixaram de que não receberam resposta e alegam que ela só foi dada após o blog noticiar a demorra.

Na ocasião, Gobbi assegurou que nenhuma comissão foi paga por conta da contratação de Pato. A investigação começou depois que opositores ouviram de dois conselheiros da situação que o Corinthians poderia ter pago 10 milhões de euros por Pato, mas pagou 15 milhões de euros. O motivo desse aumento é o mistério que os oposicionistas dizem querer desvendar. Os opositores reclamam que a segunda solicitação não foi respondida pelo presidente.

Indagado pelo blog sobre a nova carta da oposição, Gobbi afirmou por meio da assessoria de imprensa do clube que já respondeu às questões sobre Pato, mas que o departamento jurídico está à disposição dos conselheiros se eles quiserem mais detalhes.

Por sua vez, a Nike respondeu que não vai se pronunciar sobre o assunto. Já a Providence Midia explicou que apenas prestou serviço de assessoria de imprensa para Pato e o assessorou numa campanha publicitária não vinculada ao meio futebolístico, mas não mantém mais relação com o jogador. Informou também que não participou da negociação do Corinthians para comprar o atacante e que não recebeu pagamentos do clube ou da Nike. Fonte ligada a Gobbi confirma que a agência só cuidou da assessoria de imprensa do jogador.

A mensagem oposicionista, também faz crítica velada ao fato de o clube pagar comissão para empresários até em renovação de contratos de jogadores e para trazer Mano Menezes, que estava desmpregado. Leia abaixo a íntegra da carta, documento essencial para quem quer entender a crise entre “gobbistas” e “andresistas”.  Os dados da Providence Midia, nome correto da empresa, foram apagados pelo blog.

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS