Quarta-Feira, 26 de Março de 2014, 10h51
OPERAÇÃO APRENDIZ
De punho cerrado, João Emanuel pede \"força\" ao chegar a prisão

Da Redação

Repórter MT

\"emanuel-punho.jpg\"

João Emanuel fez mesmo gesto de petistas detidos no Mensalão

O ex-presidente da Câmara de Cuiabá, vereador João Emanuel Moreira Lima (PSD), falou muito pouco ao chegar a sede da Polinter para cumprir mandado de prisão decretado pela juíza Selma Arruda. Os mandados foram cumpridos na manhã desta quarta-feira pelo Gaeco, na segunda fase da ‘Operação Aprendiz’.

Imitando o gesto dos ex-deputados José Dirceu e José Genuínos (ambos do PT de São Paulo), quando foram detidos após condenação no processo do ‘Mensalão’, o ex-presidente da Câmara cerrou os punhos e disse apenas uma palavra. “Força”, bradou o social-democrata.

Além de João Emanuel, o Gaeco cumpriu mandado de prisão contra Amarildo dos Santos. Ele é considerado o braço-direito do vereador. A defesa dele foi a responsável pela ação que barrou as investigações no início do ano por meio de decisão do desembargador Juvenal Pereira. Em fevereiro, o Tribunal de Justiça derrubou a liminar e autorizou o GAeco a retomar os trabalhos investigatórios.

Outras duas pessoas que tiveram a prisão decretada ainda não foram encontradas.

João Emanuel é acusado de comandar um esquema de fraudes em licitações na Câmara de Cuiabá e grilagem de terras. Ele responde a processos na esfera cível, criminal e ainda um por quebra de decoro parlamentar no poder legislativo.

Em novembro do ano passado foi deflagrada a primeira fase da Operação Aprendiz, com apreensão de documentos na Câmara de Cuiabá, em empresas e na residência dos envolvidos. 

VEJA MAIS

Braço-direito de João Emanuel é preso em posto de gasolina de Cuiabá

Gaeco prende João Emanuel e mais 3 por fraudes na Câmara 

Em vídeo editado, empresária cita armação contra João Emanuel

João Emanuel entrega defesa com vídeo em que empresária atesta sua inocência

TJ derruba liminar e Câmara retoma investigação contra João Emanuel

Comissão de Ética pede reforço jurídico para barrar manobras de João Emanuel

Justiça concede liminar e suspende investigação contra João Emanuel na Câmara

Advogado de João Emanuel volta a atacar os promotores do Gaeco

João Emanuel pede mais prazo para apresentar defesa a Comissão de Ética

Gaeco comemora voto de desembargador e prevê manutenção de investigação contra João Emanuel 

 


Fonte: FOLHAMAX
Visite o website: https://www.folhamax.com/