Quarta-Feira, 02 de Setembro de 2015, 09h59
CASSAÇÃO A VISTA
Câmara recebe mais 15 pedidos contra vereadores

Diário de Cuiabá

marcrean-vitima.jpg

 

Mesmo após a abertura de um procedimento investigatório contra o vereador Marcrean Santos (PRTB) no âmbito da Câmara de Cuiabá, associações de bairros e líderes comunitários continuam protocolando requerimentos solicitando a cassação do parlamentar por quebra de decoro. 

De sexta-feira (28) até ontem (1º) a Casa de Leis recebeu mais 15 pedidos. Com isso, Marcrean já acumula 29 pedidos de cassação. Os novos requerimentos serão anexados ao processo instaurado pela Comissão de Ética do Parlamento Municipal, uma vez que possuem o mesmo pedido e o mesmo objeto dos demais. 

A medida é fruto de uma suposta agressão cometida pelo vereador contra o presidente do bairro Renascer, José Carlos da Silva. O líder comunitário acusa o parlamentar de tê-lo agredido com socos no último dia 15, nas proximidades do Córrego do Barbado, no bairro Pedregal, em Cuiabá. 

O vereador, por sua vez, nega as acusações e garante que não houve agressão. Marcrean afirma que estava no local para averiguar uma denúncia de crime ambiental que havia recebido. 

A possível quebra de decoro parlamentar por parte do vereador será apurada pela Comissão de Ética da Câmara de Cuiabá. A Mesa Diretora da Casa de Leis encaminhou ao grupo na última quinta–feira (27) todos os pedidos de cassação protocolados contra o parlamentar. 

A medida atendeu a recomendação da Procuradoria do Parlamento Cuiabano, que sugeriu a abertura de um procedimento investigatório em desfavor do parlamentar. 

O presidente da Comissão de Ética, vereador Toninho de Souza (PSD), garante que o grupo irá fazer um trabalho “isento e imparcial”. O social-democrata espera entregar o relatório final em até 60 dias, contados após a publicação do ato investigatório em Diário Oficial. 

Além de Toninho, também fazem parte da Comissão de Ética os vereadores Adevair Cabral (PDT) e Chico 2000 (PR) como vice-presidente e membro. 

No entanto, como o parlamentar republicano faz parte da Mesa Diretora, ele se declarou suspeito em participar do processo, assim como o 1° suplente, vereador Haroldo Kuzai (SD). 

Com isso, o novo membro passou a ser o vereador Ricardo Saad (PSDB), que também será o responsável pela relatoria do processo. Ele é o segundo suplente do grupo. 

O procedimento investigatório ainda não foi criado de fato. O grupo aguarda o recebimento da documentação por parte da Mesa Diretora para se organizar e fazer a publicação que oficializa os trabalhos. 


Fonte: FOLHAMAX
Visite o website: https://www.folhamax.com/