12 de Agosto de 2020,

Artigos

Mundo

A | A

Domingo, 01 de Fevereiro de 2015, 01h:16 | Atualizado:

Alckmin diz que seca em 2015 será igual ou pior que em 2014

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), voltou neste sábado a pedir à população para continuar economizando água, pois a seca deste ano poderá ser igual ou pior que a do ano passado. “Neste mês de janeiro choveu menos que no mesmo mês do ano passado. Tivemos um mês de janeiro muito seco e com pouca água, então podemos repetir de novo um ano seco”, comentou o governador durante entrega de viaturas para produtores rurais em Coroados, no interior de São Paulo.

Segundo Alckmin, “a região Sudeste do Brasil, vive a maior seca dos últimos 100 anos”, por isso, segundo ele, a população deve continuar economizando. “Primeiro, quero agradecer à população, porque 81% da população fez o uso racional da água; São Paulo consumiu 72 metros cúbicos, hoje consome 55”, afirmou. “Mas a palavra é que todos ajudem, pois nós não podemos abrir mão de ninguém. Então precisamos da colaboração de todos”, apelou o governador. “Todo mundo deve continuar colaborando pois esta é a maior seca do século; o ano mais seco foi em 1953, mas no ano passado, choveu metade de (o que choveu em) 1953. E este mês a mesma coisa; no Cantareira choveu a metade e no Alto Tietê, 40%”, completou.

O governador afirmou que a Sabesp ainda não se decidiu sobre a adoção de racionamento de água na Grande São Paulo. Uma das possibilidades seria cortar o consumo quatro dias para liberar por dois. “Não nada decidido. É uma decisão técnica, que está sendo estudada pela Sabesp, que tem administrado bem a crise hídrica. Mas não tomaremos nenhuma medida de racionamento sem uma antecedência e comunicação para a população”, afirmou Alckmin.

Segundo Alckmin, enquanto a Sabesp não se decide, o governo continua com ações para reduzir o consumo por meio do pagamento de bônus, aplicação de sistema redutor de pressão durante a madrugada (reduz perdas físicas) e distribuição de caixas d’água para famílias de baixa renda. “As caixas possibilitam às famílias fazerem reservação de água por 24 horas para não ficar sem água durante a redução de pressão”, explicou. “Sem as caixas, a água seca quando é retirada do cano sem a reservação”, completou.  

 



Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS