17 de Novembro de 2019,

Mundo

A | A

Quinta-Feira, 17 de Outubro de 2019, 16h:01 | Atualizado:

EM ÁUDIO VAZADO

Deputado chama Bolsonaro de "vagabundo"

Câmara dos Deputados

PSL.jpg

 

Em uma gravação vazada nesta quinta-feira, o líder do PSL, Delegado Waldir (GO), diz que poderia "implodir" o presidente Jair Bolsonaro , a quem se refere como "vagabundo". Waldir é aliado de Luciano Bivar , presidente do partido. O áudio foi gravado enquanto deputados discutiam a investida do presidente Jair Bolsonaro para emplacar seu filho, Eduardo, como líder do partido na Câmara, destituindo Waldir. Na quarta-feira, o presidente ligou para diversos deputados para convencê-los a assinar um documento para tirar Waldir e colocar Eduardo.

Na conversa em que discutia com seus aliados como reagir à tentativa de derrubá-lo, Waldir fala em implodir Bolsonaro. O contexto eram áudios do presidente defendendo que deputados assinassem uma lista para destituir Waldir.  Após uma guerra de listas para ver quem ficava na liderança do partido, a Secretaria-Geral da Câmara manteve Delegado Waldir no cargo.

— Eu vou implodir o presidente. Aí eu mostro a gravação dele. Eu tenho a gravação. Não tem conversa. Não tem conversa. Eu implodo o presidente — diz Waldir.

Ele se queixa também de que foi leal ao presidente e o chama de "vagabundo".

— Eu sou o cara mais fiel a esse vagabundo. Eu andei no sol em 245 cidades gritando o nome desse vagabundo.

Durante a conversa, deputados se queixam do tratamento que o presidente dá a eles (um diz que Bolsonaro "caga na nossa cabeça") e se queixam de terem sido "assediados" pelo Planalto para retirar Waldir da liderança.

Apesar da tentativa de destituir Waldir, a Câmara dos Deputados não reconheceu as assinaturas no requerimento protocolado pelos bolsonaristas. Ele segue, portanto, como líder do partido na Casa. O partido vem retaliando a dissidência dos bolsonaristas nos últimos dias, tomando deles cargos no Legislativo.

Nesta quarta-feira, o site da revista Época divulgou um áudio de Bolsonaro pedindo assinatura para tentar derrubar Waldir.

— Estamos com 26, falta uma assinatura para a gente tirar o líder, e colocar o outro. A gente acerta. Entrando o outro agora, dezembro tem eleições para o futuro líder. A maneira como tá, que poder tem na mão atualmente o presidente, o líder aí? O poder de indicar pessoas, de arranjar cargos no partido, promessa para fundo eleitoral por ocasião das eleições, é isso que os caras têm. Mas você sabe que o humor desses caras de uma hora para a outra muda -  afirmou Bolsonaro a um interlocutor desconhecido. 

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS