Mundo Quarta-Feira, 07 de Maio de 2014, 13h:40 | Atualizado:

Quarta-Feira, 07 de Maio de 2014, 13h:40 | Atualizado:

Notícia

Empresa da família de Júnior Friboi é acusada de dever R$1,3 bi em impostos

 

UOL

Compartilhar

WhatsApp Facebook google plus

O frigorífico JBS, da família do empresário José Batista Júnior (foto), conhecido por Júnior Friboi, pré-candidato do PMDB ao governo de Goiás, é acusado de sonegar R$ 1,3 bilhão em impostos naquele Estado.

A empresa responde a 49 autos de infração aplicados pela Secretaria da Fazenda de Goiás nos últimos 9 anos, a maioria por não recolhimento do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) na exportação de carne bovina, segundo reportagem do jornal “O Popular” publicada na 6ª feira (2.mai.2014).

O auto de infração é o documento redigido pelo fiscal da Receita que aponta a falta de pagamento de tributos por determinada empresa. A companhia autuada pode recorrer ao próprio governo (administrativamente) e ao Poder Judiciário.

Oito desses 49 autos de infração contra o JBS, no valor de R$ 520 milhões, já obtiveram decisão favorável na esfera administrativa, segundo “O Popular”. Três deles, no valor de R$ 140 milhões, estariam inscritos na dívida ativa do Estado, o que autoriza o início da cobrança.

O suposto débito é o maior entre as empresas instaladas em Goiás. Ao jornal, o JBS afirmou cumprir rigorosamente seus compromissos tributários e fiscais e disse que os autos de infração foram questionados e aguardam decisão final da Justiça.

O vazamento das informações, protegidas pelo sigilo fiscal, ocorreu 3 dias após Júnior Friboi ser confirmado pré-candidato do PMDB ao governo de Goiás, hoje sob o comando de Marconi Perillo (PSDB).

Júnior vendeu em 2013 sua participação no JBS para seus irmãos Joesley e Wesley e é um dos candidatos do país com mais verbas para gastar nestas eleições. No início do ano, fechou um contrato de R$ 30 milhões com o marqueteiro Duda Mendonça para fazer sua campanha.

Em nota divulgada em sua página no Facebook, o pré-candidato do PMDB considerou “estranha e muito suspeita” a divulgação dos autos de infração e disse que a empresa tem o direito de contestar as cobranças tributárias, mas “cumpre o que for determinado” pela Justiça.

Além de Júnior Friboi e Marconi Perillo, são pré-candidatos ao governo Vanderlan Cardoso (PSB) e Antônio Gomide (PT). Leia as pesquisas de intenção de voto realizadas até o momento sobre a disputa em Goiás.





Postar um novo comentário





Comentários

Comente esta notícia






Copyright © 2018 Folhamax - Mais que Notícias, Fatos - Telefone: (65) 3028-6068 - Todos os direitos reservados.
Logo Trinix Internet