12 de Agosto de 2020,

Artigos

Mundo

A | A

Domingo, 08 de Dezembro de 2019, 20h:39 | Atualizado:

Família de presa por racismo se desculpa e diz que ela tem transtornos

A família de Natália Burza Gomes Dupin, de 36 anos, presa semana passada por injúria racial a um taxista, divulgou nota neste domingo (8) pedindo desculpas à vítima e alegando que ela tem problemas psíquicos. Segundo a família, ela sofre há anos de problemas mentais e "já agrediu de forma física e moral muitas pessoas, inclusive sua própria família". "Pedimos compaixão."

Natália foi presa quinta-feira (5) depois de dizer ao taxista Luiz Carlos Alves Fernandes, de 51 anos, que precisava de um táxi, mas que não seria o dele porque não andava com "preto". Segundo a PM, o motorista alegou que a mulher não poderia dizer aquilo, porque era crime; ela respondeu: "eu não gosto de negro, sou racista, sou racista mesmo". E, na sequência, cuspiu no pé dele. Fernades chamou a PM, que a prendeu. Uma das policiais foi chamada por ela de "sapata".

Ela deixou a delegacia aos gritos de "racista" (veja o vídeo no fim desta reportagem). Natália ficou presa até sábado (7), quando a Justiça determinou sua liberdade provisória mediante pagamento de fiança no valor de R$ 10 mil.

Na nota, a família pede desculpas ao taxista e a todos os envolvidos. "Racismo é um a realidade brutal e inaceitável", afirmam. "Sabemos que alegar doença mental no nosso país é algo que foi banalizado. Não é esse o caso (...) Já foi internada, já recebeu eletroconvulsoterapia", diz a família, que também relatou que tentava, na semana da prisão, tentava uma vaga para ela em hospital psiquiátrico.



Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS