05 de Agosto de 2020,

Mundo

A | A

Segunda-Feira, 13 de Julho de 2020, 21h:40 | Atualizado:

SENSACIONALISMO

Homem nega usar máscara e morre por Covid

RICHARD.jpg

 

Um veterano de guerra americano, de 37 anos, morreu de complicações do novo coronavírus depois de se recusar repetidamente a usar máscaras e alegar que a pandemia era apenas sensacionalismo, informa a imprensa dos EUA. "Vamos deixar isso claro. Não vou comprar uma máscara. Cheguei até aqui não acreditando nesse maldito sensacionalismo", escreveu Richard Rose em abril, num post no Facebook que agora viralizou.

Quase três meses depois, no dia 1° de julho, ele contou em sua página que estava com os sintomas da Covid-19 e que faria o teste: "Só quero me sentir bem de novo!", escreveu ele, uma hora antes de postar que o resultado tinha sido positivo: "Bem, estou oficialmente em quarentena pelos próximos 14 dias". No dia seguinte, escreveu: "Isso é horrível! É uma droga! Estou tão sem fôlego só de ficar sentado aqui". No dia 4, Rose morreu em casa, em Port Clinton, Ohio.

"Rick está sendo massacrado on-line agora por sua decisão de não usar máscara e isso não está certo", lamentou Nick Conley, amigo de Rose, ao canal "19 News", afiliada local da "CBS": "Ainda devemos ter compaixão se concordamos ou não com as crenças de alguém. Alguém morreu e devemos ter alguma compaixão por isso".

Em 12 de maio, o veterano postou que estava "cansado" de ver "m* sobre Covid" e, em 18 de maio, publicou um meme que comparava um niqab árabe a uma máscara de proteção. Durante o mês de junho, ele fez check-in no Facebook em bares e restaurantes em Ohio. Compartilhou também um post dizendo que tinha ido a uma piscina pública ao ar livre lotada e mais tarde afirmou que acreditava ter sido contaminado pelo coronavírus lá.

A família de Rose, que não era casado nem tinha filhos, contou que ele não sofria de doenças pré-existentes. "É horrível termos perdido Rick, mas a parte mais trágica disso é quem mais foi infectado por causa das atitudes que ele escolheu tomar", afirmou Conley, que espera que a morte do amigo sirva de aviso para os outros: "Conheço muitas pessoas que não tiveram alguém conhecido infectado. Queria que as pessoas percebessem que é real e minha esperança é que as pessoas vejam que isso acontece e que sejam mais cautelosas".

Rose, que serviu ao Exército dos EUA por nove anos e esteve duas vezes no Iraque e no Afeganistão, costumava ajudar veteranos sem-teto e em campanhas de prevenção de suicídios desses ex-servidores, segundo seus parentes. Em seu obituário, a família diz que ele gostava de mídias sociais, streaming on-line e seus dois gatos, Dale e Tucker.

Ohio registrou mais de 65 mil de coronavírus, com pelo menos 3.058 mortes. O estado relatou 1.525 casos em um único dia na sexta-feira.



Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Azildinha | Terça-Feira, 14 de Julho de 2020, 04h12
    0
    0

    Ele escolheu assim! Foi um decisão tomada enquanto estava consciente e há de ser respeitada. Simples assim....

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS