19 de Junho de 2019,

Mundo

A | A

Segunda-Feira, 15 de Abril de 2019, 23h:08 | Atualizado:

Moraes censura reportagem que aponta codinome de Toffoli em troca de e-mails de Odebrecht

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, determinou que a revista "Crusoé" e o site "O Antagonista" retirem do ar "imediatamente" uma reportagem veiculada na última sexta-feira, sobre o presidente do STF, Dias Toffoli.

A reportagem aponta que Toffoli seria o "amigo do amigo do meu pai", em um e-mail datado de 13 de julho de 2007, enviado pelo empreiteiro Marcelo Odebrecht aos executivos Adriano Maia e Irineu Meireles. À época, Toffoli era Advogado-Geral da União (AGU) do governo Lula.

O site informou que conseguiu a informação com base em um documento que consta nos autos da Operação Lava Jato.

Na decisão, Moraes determinou "que o site O Antagonista e a revista Crusoé retirem, imediatamente, dos respectivos ambientes virtuais a matéria intitulada ‘O amigo do amigo de meu pai’ e todas as postagens subsequentes que tratem sobre o assunto, sob pena de multa diária de R$ 100 mil, cujo prazo será contado a partir da intimação dos responsáveis. A Polícia Federal deverá intimar os responsáveis pelo site O Antagonista e pela Revista Crusoé para que prestem depoimentos no prazo de 72 horas".

Para o ministro, a matéria é um "típico exemplo de fake news" e há "claro abuso no conteúdo". A determinação de Moraes se baseou em uma nota da Procuradoria-Geral da República (PGR), afirmando que ainda não recebeu o documento enviado à Lava Jato e que teria sido obtido pela revista.

Em nota, a Crusoé reiterou o teor da reportagem, baseada em documento, e lembrou que o presidente do STF, Dias Toffoli, ainda não respondeu às perguntas enviadas pela reportagem.

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS