09 de Agosto de 2020,

Mundo

A | A

Domingo, 24 de Agosto de 2014, 11h:17 | Atualizado:

MP apura empréstimos concedidos por Abdelmassih no Paraguai

A promotora Lorena Ledesma, responsável por investigar possíveis crimes cometidos por Roger Abdelmassih no Paraguai, apura as transações financeiras feitas pelo ex-médico em Assunção. O que mais intriga o Ministério Público é a quantidade de empréstimos concedidos por ele e pela mulher, Larissa Sacco, para várias pessoas no país.

Os documentos que comprovam a movimentação foram apreendidos na sexta-feira (22). Segundo Lorena, há empréstimos de 3 a 10 milhões de guaranis, o equivalente a valores que variam entre R$ 1,6 mil e R$ 5,3 mil. “Identificamos mais de 30 nomes de pessoas que foram beneficiadas por esses valores. Foram muitos empréstimos e não sabemos as razões para eles terem sido feitos, quais os interesses dele em fazer esses empréstimos. Apreendemos muitos recibos”, diz a promotora.

Abdelmassih, de 70 anos, foi preso na terça-feira (20), em Assunção, após passar três anos foragido. Ele foi condenado pela Justiça a 278 anos de reclusão pelos crimes de estupro e atentado violento ao pudor. Ao todo, foram 48 ataques registrados.

A promotora do Paraguai afirma ter encontrado o controle financeiro do casal para o pagamento dos funcionários da casa. “Eles tinham quatro funcionários, sendo o chofer, a enfermeira e duas empregadas. Estes não estavam na mesma lista de beneficiados por empréstimos.”

Lorena pretende pedir a quebra do sigilo dos seis celulares apreendidos na residência. “Todos estavam descarregados e sem os chips. Queremos saber quais mensagens e ligações que eles recebiam e faziam com esses aparelhos. A ideia é tentar saber se eram usados para ajudar nas transações comerciais que ele mantinha. Vamos acessar o computador que estava na casa também.”

Receitas médicas também foram apreendidas no local, de acordo com Lorena. "Eles passaram por muitas consultas, tanto Roger como os filhos. Há muitas receitas de medicamentos e comprovantes de compra dos remédios."

A promotora diz que investiga ainda a existência de duas contas bancárias no país em nome de Ricardo Galeano (nome falso usado pelo ex-médico no país). "A movimentação financeira e comercial era grande, mas em valores de 10 a 15 milhões de guaranis, que não são valores altos. Vamos apurar como eles se mantinham no país."

Casa luxuosa

A casa onde morou o ex-médico, a mulher  e os dois filhos no Paraguai está avaliada em US$ 1 milhão. O dono da imobiliária Saturno, responsável pelo contrato de locação, Miguel Portillo, diz que o ex-médico era uma “pessoa impressionante, nobre e muito religiosa" e que "se apresentou como aposentado". O G1 obteve com exclusividade as fotos do interior do imóvel.

O imóvel onde ele morou tinha 700 m² de área construída, quatro suítes, closet, jardim de inverno, cascata, jardim no terraço, escritório, sala de ginástica, sauna, piscina, recepção, living, cozinha, copa, sala de estar, sala de música e televisão, acabamento em piso de madeira, porcelanato e granito e tinha sistema de ar-condicionado central.

 



Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS